Menu

Trabalhadores do CPqD aprovam proposta e encerram campanha salarial

Os profissionais do CPqD aprovaram na última quarta-feira, dia 22, a contraproposta da empresa para a campanha salarial 2017/18. A decisão foi votada por ampla maioria em assembleia realizada no auditório da Fundação.

O novo Acordo Coletivo de Trabalho estabelece reajuste de 3% nos salários e benefícios, garantindo 0,3% de aumento real. Novamente, os dias ponte do próximo ano não precisarão ser compensados, totalizando a liberação de 64 horas. Outros importantes pontos do ACT podem ser conferidos abaixo:

  • - Mudança da assistência medicamento para a Vidalink, que garantirá a mesma quantidade de medicamentos no plano e o acréscimo de outros 129 itens. O plano também será alterado para o modelo TPPM (Tabela Percentual de Participação Mútua);
  • - Realização de estudo e discussão com o Sindicato para debater melhorias e evitar reajustes abusivos;
  • - Continuidade das homologações no Sindicato, onde os funcionários e funcionárias terão toda assistência no momento do desligamento;
  • - 180 dias de licença para mães e 20 dias para pais que adotarem crianças até 12 anos de idade.

Na visão do SINTPq, os resultados obtidos nesta campanha salarial foram positivos, considerando a situação econômica da Fundação e do país. O andamento do processo negocial também representou um grande avanço em relação ao ano passado, quando o impasse e desgaste de ambas as partes prevaleceram. Para os próximos anos, o Sindicato espera que a direção da empresa continue vendo em seus profissionais o principal patrimônio da instituição.

Sustentabilidade sindical

Durante a assembleia, também foi discutida a sustentabilidade financeira do Sindicato. Nesse momento, os trabalhadores solicitaram uma apresentação sobre a situação financeira do SINTPq. A direção do Sindicato já requereu espaço junto ao CPqD e em breve informará a data dessa exposição.

Após diversas manifestações e sugestões, os funcionários aprovaram o desconto de 3,3% nos salários, em favor do SINTPq, divididos em seis parcelas iguais pagas a partir de fevereiro.

Os empregados poderão fazer a recusa individual do pagamento mediante apresentação de carta na sede do SINTPq, respeitando o prazo de 20 dias após a data a ser estabelecida. Funcionários em férias durante esse período terão o mesmo prazo após o retorno a suas atividades e trabalhadores locados em outras cidades poderão fazer a desautorização via e-mail.

O SINTPq também já solicitou espaço na sede da empresa para que os funcionários possam apresentar suas recusas no próprio local de trabalho. Assim que a direção do CPqD responder à solicitação, as datas disponíveis para entrega serão divulgadas.

Funcionários que desejarem contribuir com valores menores ou maiores que os 3,3% também terão essa alternativa. Para isso, basta apresentarem carta no mesmo período recusando o desconto padrão, mas informando o valor com o qual desejam contribuir. Esse montante será descontado na folha de pagamento em parcela única no mês de fevereiro.

Com o fim da contribuição obrigatória, a colaboração voluntária dos trabalhadores será fundamental para a manutenção do trabalho desempenhado pelo Sindicato. Após 27 anos de lutas e importantes conquistas no CPqD, o SINTPq conta com o reconhecimento e cooperação dos funcionários.

Agora, mais do que nunca, o Sindicato terá a força que os trabalhadores desejarem. As manifestações de apoio feitas por diversos funcionários e funcionárias durante a assembleia demonstram que as relações ficarão ainda mais fortalecidas neste novo momento da representação sindical.

voltar ao topo