Menu

Conquistas da campanha salarial dos bancários injetarão R$ 10 bi na economia

Em assembleias lotadas, trabalhadores de bancos públicos e privados encerraram a campanha salarial (FOTO: Anju) Em assembleias lotadas, trabalhadores de bancos públicos e privados encerraram a campanha salarial (FOTO: Anju)

De acordo com o levantamento feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), o acordo salarial firmado no final de agosto entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e a categoria, que garantiu aos trabalhadores um reajuste salarial de 5% – reposição integral da inflação e aumento real estimado em 1,18% – terá um impacto positivo de aproximadamente R$ 10 bilhões na economia brasileira até o final deste ano.

Os dados da entidade sindical contrariam os argumentos dos setores patronais e de parte dos candidatos que disputam as eleições de 2018 e são críticos às campanhas salariais que reivindicam aumento real. Segundo a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, os ganhos são fundamentais para a retomada do crescimento, por garantir o poder de compra dos trabalhadores, o que, por sua vez, movimenta a economia.

"Quanto mais direito o trabalhador tem, quanto melhor o salário, mais a economia ganha", afirma Juvandia à repórter Michelle Gomes, do Seu Jornal, da TVT. "Ao contrário do que alguns candidatos estão dizendo que para ter emprego não pode ter direitos e, isso é um absurdo, na verdade, é quando você tem emprego de qualidade com salário direito é que a economia ganha e gera mais empregos ainda", explica a presidenta.

Desde 2004 os bancários têm conquistado ganho real e, com o novo acordo, o aumento acumulado até 2019, será de cerca de 23% nos salários e 44,7% no piso da categoria.

por Redação Rede Brasil Atual

voltar ao topo