Menu

Proposta do CPqD retira direitos e coloca empregos em risco

Após a sétima reunião negocial com o sindicato, realizada na manhã de ontem, a direção do CPqD apresentou oficialmente sua contraproposta para a campanha salarial. Como a mesma contém uma série de alterações em cláusulas fundamentais do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), o SINTPq levou os termos para apreciação do seu departamento jurídico, que foi claro: a aprovação dessa contraproposta ameaçaria diretamente o emprego dos atuais funcionários.

Em um dos pontos mais polêmicos da proposta, o CPqD busca retirar um benefício histórico, a gratificação de 70% sobre as férias, para os contratados a partir de janeiro. O que garante que a empresa não substituirá os atuais funcionários, com direito ao benefício, por novos? Se a direção do CPqD trocar 50 trabalhadores com salário de R$ 5.000,00 por outros com o mesmo salário, mas com a gratificação padrão de 33%, economizará R$ 92.500,00 em um ano. Agora, imagine o mesmo cálculo com salários maiores ou então ainda mais desligamentos.

Durante as negociações, o SINTPq ficou atento a essa questão e propôs que os atuais funcionários tivessem alguma garantia de que não seriam desligados após a retirada da gratificação. Entretanto, o CPqD recusou qualquer garantia oficial para os empregos. Se a empresa não planeja realizar essa perversa substituição de mão de obra, por que não se compromete a preservar seus trabalhadores?

Outro ponto importante é o fato da empresa, ao recusar a isenção da coparticipação do plano médico para os sócios e demais pessoas que contribuírem com o sindicato, utilizar a isonomia como argumento. Entretanto, o CPqD não se importa em criar uma significativa diferenciação de benefícios entre os atuais funcionários e os contratados a partir de janeiro. Como se não bastasse, a empresa quer a anuência do sindicato e dos trabalhadores para que sejam seus cúmplices nessa diferenciação e retrocesso, aprovando em assembleia a retirada de direitos dos futuros colegas.

Coparticipação

Conforme aprovado na assembleia de formação de pauta, o SINTPq buscou garantir que seus sócios e demais contribuintes fossem isentos da coparticipação. A empresa recusou a diferenciação e perguntou ao sindicato se uma alternativa para todos os trabalhadores poderia ser discutida. Em sua resposta, a direção do SINTPq concordou com o fato de todos serem beneficiados, diferentemente do que a empresa divulgou em seu comunicado. A reunião realizada ontem foi antecipada, a pedido da empresa, justamente para debater uma possível solução. Todavia, apesar de sinalizar o interesse em uma resolução, a direção do CPqD manteve sua posição de forma inflexível.

Como já anunciado pelo sindicato, a implementação dessa mudança a partir de maio resultará em redução salarial para os trabalhadores que utilizam o plano médico. De nada servirá o reajuste de 4,56% se os funcionários precisarem arcar com mais esse custo.

Desde da entrada do seu atual presidente, o CPqD só trouxe prejuízo aos funcionários. Entre 2015 e 2018, a empresa reduziu sua dívida de R$ 70 milhões para R$ 40 milhões. Analisando a campanha salarial deste ano e a de 2016, fica claro que essa redução foi jogada nas costas dos trabalhadores e trabalhadoras, que sofreram com demissões e reajustes abaixo da inflação. Os profissionais do CPqD não podem continuar pagando essa conta.

Assembleia no dia 03/12: Vamos juntos dizer não aos retrocessos!

A assembleia para avaliação da contraproposta do CPqD está agendada para segunda-feira, às 8h, no auditório do Centro. Converse com seus colegas e venha dar sua resposta a essa tentativa de retrocesso!

Confira o vídeo sobre a contraproposta divulgado ontem pelo SINTPq e compartilhe com seus colegas.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Pelo presente edital, o SINTPq - Sindicato dos Trabalhadores em Atividades (Diretas e Indiretas) de Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia de Campinas e Região, convoca todos os trabalhadores da Fundação CPqD para que compareçam na Assembleia Geral Extraordinária que será realizada no próximo dia 03 de dezembro de 2018, no auditório da empresa - Rua Dr. Ricardo Benetton Martins S/N - Polo II de Alta Tecnologia Campinas – /SP – às 08h00 em primeira convocação e não havendo quórum às 08h30 em segunda convocação com qualquer número de pessoas presentes para deliberar sobre a seguinte pauta: 1) Deliberação da contraproposta da empresa para assinatura do acordo coletivo 2018/2019; 2) Campanha de sindicalização; 4) Outros assuntos.

José Paulo Porsani
Presidente - SINTPq 

voltar ao topo