Menu

Amazul: Sindicato e trabalhadores conseguem vitória parcial no TST

Greve realizada em março deste ano durou três dias e reuniu centenas de trabalhadores Greve realizada em março deste ano durou três dias e reuniu centenas de trabalhadores

Em decisão divulgada nesta manhã, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) garantiu o reajuste pelo INPC correspondente em todos os salários da Amazul, de forma retroativa a janeiro. Entenda abaixo os detalhes da decisão.

Após a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que determinou o reajuste de 10,24%, a Amazul iniciou um recurso para suspender a aplicação da sentença enquanto o processo transcorresse no TST. Dessa forma, a empresa não precisaria pagar qualquer valor aos funcionários antes da definição na instância superior.

Hoje, o TST apresentou uma resposta a esse recurso, e não ao dissídio como um todo. Portanto, os 10,24% de reajuste ainda serão julgados pelo plenário do tribunal.

A decisão divulgada atendeu parcialmente o recurso da empresa, garantindo o pagamento do INPC, e não dos 10,24%. Apesar do percentual menor, a decisão deve ser comemorada, pois o desembargador responsável poderia simplesmente concordar integralmente com o recurso da empresa, deixando os funcionários sem qualquer reajuste até a conclusão do processo.

Essa vitória parcial é resultado direto da mobilização feita pelos trabalhadores e pelo sindicato em março deste ano. Sem a greve, não haveria qualquer reajuste, uma vez que a proposta apresentada na época foi de 0%. Além dessa conquista parcial, o movimento grevista possibilitou a expectativa de uma vitória ainda maior, com uma eventual decisão favorável do TST.

Os profissionais da Amazul devem, mais do que nunca, seguir unidos e conscientes de que a luta conjunta traz resultados. Junto a isso, é necessário fortalecer a representatividade do sindicato por meio da associação.

Para que o SINTPq possa manter e fortalecer seu trabalho, é necessário o apoio dos trabalhadores e trabalhadoras. Preencha o formulário no link, torne-se sócio e ajude o sindicato nessa luta por melhores condições de trabalho.

voltar ao topo