Menu

Amazul: TST responde embargos de declaração e define 2,05% de reajuste

Ontem, no fim do dia, o ministro do TST João Batista Brito Pereira se manifestou sobre os embargos declaratórios da Amazul, que questionavam o percentual anteriormente definido.

Em sua decisão, o ministro corrigiu o erro material e decretou o reajuste de 2,05% nos salários e benefícios econômicos. Com isso, o sindicato já está cobrando o imediato pagamento da correção e dos retroativos, pois não há mais justificativa para a empresa descumprir a decisão judicial.

Entenda o caso

Em março de 2018, após a empresa oferecer 0% de reajuste, os trabalhadores realizaram uma greve de três dias. Um processo de dissídio coletivo foi iniciado. No Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a decisão foi favorável aos trabalhadores e ao sindicato. Agora, o processo transcorre no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

voltar ao topo