Menu

Trabalhadores da Amazul aprovam greve a partir de quinta-feira (21)

Se alguém achava que o engajamento dos profissionais da Amazul havia ficado para trás na greve de 2018, as assembleias desta semana provaram o contrário. A disposição para lutar está ainda maior e, por unanimidade, os trabalhadores e trabalhadoras rejeitaram a ridícula proposta de 0,8% de reajuste. Em seguida, as assembleias realizadas em São Paulo e Iperó aprovaram a realização de greve a partir de quinta-feira (21).

A mobilização terá início com concentrações nas portarias, na entrada do expediente, e assembleias às 9h. Caso a empresa apresente nova contraproposta neste período, as condições oferecidas serão avaliadas pelos funcionários no primeiro dia de greve.

Também foi discutida a realização de manifestação na quarta-feira (20), durante a cerimônia de inauguração da sede da Amazul. Após debate nas duas unidades, foi definido que o sindicato deverá avaliar o engajamento e condições para a mobilização e, confirmando-se a viabilidade, organizar o protesto.

Outro ponto positivo das assembleias realizadas ontem e hoje foi o significativo número de sindicalizações. Os profissionais da Amazul estão cada vez mais conscientes de que somente a luta coletiva, em conjunto com o fortalecimento de sua entidade representativa, poderá garantir seus direitos.

Agora, é hora de cada trabalhador e trabalhadora conversar com seus colegas sobre a importância dessa luta. É necessário fortalecer o clima de mobilização durante a semana para pressionar a empresa a viabilizar melhores propostas. Além disso, esse movimento nos próximos dias será importante para que a paralisação já comece fortalecida.

A greve deste ano precisa ser ainda mais forte que a de 2018, que completou um ano no dia 13 de março. O movimento daquela época garantiu a permanência dos benefícios até 31 de dezembro e o reajuste de 2,05%. Esses resultados concretos são a prova de que é possível vencer novamente.

VAMOS JUNTOS EXIGIR O RESPEITO QUE MERECEMOS
AGORA É GREVE!

voltar ao topo