Menu

Governo corta mais 2.274 bolsas de pesquisa

Somadas a outras 3.474 bolsas já bloqueadas pelo governo Bolsonaro (PSL), os bloqueios totalizam 6.198 (FOTO: Marcelo Camargo) Somadas a outras 3.474 bolsas já bloqueadas pelo governo Bolsonaro (PSL), os bloqueios totalizam 6.198 (FOTO: Marcelo Camargo)

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (Capes) anunciou na terça-feira (4) o corte de mais 2.724 bolsas de pós-graduação. Somadas a outras 3.474 já bloqueadas pelo governo Bolsonaro (PSL), em maio, os bloqueios atingem 6.198 bolsas de pesquisa. Com essa medida, o congelamento de recursos na Capes superou a marca dos R$ 300 milhões.

As 2.724 bolsas serão congeladas a partir de junho de 2019, e o critério utilizado pela Capes foi o de avaliação. Elas atingem programas de pós-graduação com nota 3 em duas avaliações consecutivas ou que caíram de 4 para 3 pontos no último ciclo de avaliações – em uma escala de 1 a 7. Nesta terça, foram impactados 330 cursos.

No mês passado, a Capes já havia anunciado o corte de 3.474 bolsas – depois da repercussão negativa e da pressão nas ruas, 1.200 foram reabertas em cursos com conceitos 6 e 7. Na ocasião, porém, Anderson Ribeiro Correa, presidente da Capes, anunciou que um segundo corte poderia ser feito ainda neste semestre.

Dos pesquisadores que serão prejudicados com os cortes mais recentes, 2.331 cursam mestrado, 335 estão no doutorado e 58 são pós-doutorandos. A partir de junho, eles perderão as bolsas, que não poderão ser repassadas a outros estudantes.

por Portal Brasil de Fato

voltar ao topo