Menu

CTI e Facti não apresentam solução para o Fretado

  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Após quase um mês de reunião do SINTPq com representantes da Facti e do CTI, as empresas ainda não tomaram nenhuma providência em relação aos compromissos assumidos com o sindicato sobre o transporte fretado.

A situação é desgastante, pois foram horas de reunião e esforço do SINTPq em busca de uma solução. A Facti comprometeu-se a realizar uma pesquisa interna para confirmar o número de trabalhadores que utilizam o benefício.

O SINTPq propôs que o CTI custeasse um dos ônibus e a Facti os demais, já que possui mais funcionários que utilizam o fretado. Foi discutida ainda a possibilidade de dividir os gastos com outras empresas que prestam serviços dentro do CTI.

Apesar de atualmente estar em área urbana, o CTI ainda encontra-se em uma área com difícil acesso via transporte público que, aliás, em Campinas, vive um processo de precarização e sucateamento pelo atual governo.

A falta de atitude por parte das empresas mostra que o assunto fretado não será prioridade para elas remetendo ao trabalhador o ônus do deslocamento. O sindicato quer uma solução que não seja prejudicial ao trabalhador e resposta rápida das direções.

Leia mais ...

CNPEM: Em assembleia, trabalhadores decidem pelo Dissídio Coletivo

  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Em assembleia realizada na ultima sexta-feira (20), os trabalhadores do CNPEM decidiram pela recusa da contraproposta da empresa para a Campanha Salarial 2014/2015. A decisão foi tomada após muito debate entre os funcionários presentes.

Um dos pontos discutidos foi a capacidade financeira do centro. O SINTPq apresentou números do balanço de gestão do CNPEM que explicitavam uma redução das despesas da empresa com o custeio de funcionários e o aumento das receitas do contrato de gestão, demostrando assim que a principal questão colocada era priorizar ou não os funcionários. O CNPEM, no entanto, alega dificuldades financeiras para implementar o reajuste salarial de acordo com a inflação.

Ao recusarem a proposta da empresa, não restou alternativa aos mais de 270 empregados presentes, que decidiram pela instauração de Dissídio Coletivo. O processo será encaminhado pelo SINTPq à justiça do trabalho nas próximas semanas. O sindicato ainda acredita no bom senso dos dirigentes do CNPEM em não penalizar seus funcionários com redução de salários e espera uma proposta de recomposição inflacionaria do período 2013-2014 até o julgamento da ação do dissídio.

No que se refere ao compromisso do CNPEM de reverter os R$ 250,27 em 3% de reajuste nos salários, após amplo debate, os funcionários optaram por manter o valor em dinheiro no vale alimentação, até que seja definido em juízo o destino da Campanha Salarial 2014/2015. A decisão também foi amparada por uma votação apertada, com 126 votos favoráveis e 116 contrários.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS