Menu
Acontece

Acontece (878)

Live do SINTPq com pesquisadores debate desafios da ciência paulista e nacional

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Com a pandemia, a pesquisa científica e seu papel na sociedade estão em evidência. Neste contexto, é fundamental debater as políticas públicas no setor e seus desafios. Para esse importante diálogo, o SINTPq conta com a participação de pesquisadores e ativistas da ciência nacional.

Participe no dia 29/01, às 19h, enviando suas considerações nos comentários.

19h00 às 19h10 Abertura | Priscila Leal - Diretora do SINTPq e pesquisadora do IPT 

19h10 às 19h45 Desafios para o Sistema de CT&I no ESP e no Brasil | Wagner Romão - Professor de Ciência Política da Unicamp e ex-presidente da ADunicamp 

19h45 às 20h00 Depoimentos: Ros Mari Zenha (Presidência do CRE-IPT), Marcelo Aquilino (Presidente da Assipt) e José Luiz Albuquerque Filho (Pesquisador IPT)

Leia mais ...

Fim da Ford: Para economistas e sindicalistas falta ao país uma política industrial

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

A afirmação de Jair Bolsonaro (ex-PSL) de que a Ford Brasil não falou a verdade sobre a saída da empresa e que o motivo é que a montadora norte-americana queria mais subsídios para continuar produzindo veículos no país,  provocou reações junto ao movimento sindical e entre economistas progressistas.

Para especialistas, Bolsonaro também não está falando a verdade. Segundo eles, incentivos fiscais da União são importantes sim, mas falta uma política para a indústria nacional. A pandemia da Covid-19 também não pode ser culpada porque a Ford fechou a planta de São Bernardo do Campo em 2019, antes da crise sanitária, apontam.

O país já investiu cerca de R$ 20 bilhões em incentivos fiscais de 1999 a 2020, de acordo com estimativas da Receita Federal. Porém, ressalta o presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Paulo Cayres, o Paulão, o acordo entre empresa e governo assegurava um acordo até 2025 e isso foi rompido porque falta mercado.

“Não é verdade que a Ford esteja saindo do país somente devido à falta de incentivos fiscais, é preciso ter mercado. É preciso ter uma política nacional industrial forte e ter uma economia mais confiante, e esses não são os casos no país de Bolsonaro. Ele e Guedes [ ministro da Economia] vivem falando que o país está quebrado e, além de não ser verdade, ainda desestimulam investimentos. O governo é responsável pela saída da Ford do país, mas a empresa também foi bem canalha ao acabar com esses empregos no meio da pandemia”, diz Paulão.

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté (Sindmetau), Claudio Batista da Silva Júnior, o Claudião, a classe trabalhadora está abandonada pelo governo de Bolsonaro.

“É muito canalhice mesmo Bolsonaro e Guedes abandonarem a gente neste momento. Guedes ontem [12/01] já deu até meu pêsames para os trabalhadores e trabalhadoras da Ford. Eles estão se lixando para a classe trabalhadora”, finalizou.

Economistas também destacam problema da falta de política

A economista e responsável técnica pela subseção do Dieese na CNM/CUT, Renata Filgueiras e o coordenador da subseção da entidade no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC) e professor da Universidade Municipal de São Caetano do Sul e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Luis Paulo Bresciani, em entrevista ao Brasil de Fato, disseram que a saída da Ford no país reflete a ausência de uma política para o setor. E ainda contam que o país já teve esta experiência.

De 2012 a 2017, existiu um programa de fomento ao segmento automotivo, chamado de Inovar Auto para incentivar montadoras a investir em pesquisa, engenharia e desenvolvimento. Ainda, para fortalecer a produção local, o programa contava com uma garantia de que 80% dos veículos fabricados pelas empresas habilitadas deveriam realizar uma série de etapas da atividade produtiva no Brasil. Após o fim deste programa, foi criado em 2018, ainda com Temer, o programa Rota 2030, que não garantiu, por exemplo, a política de conteúdo local, afetando enormemente as fabricantes de auto peças.

Segundo eles, outro elemento importante a se destacar é a crise do mercado interno do segmento. Em 2013, 84,2% da produção de  veículos eram destinadas ao mercado interno brasileiro. A situação se altera a partir de 2015. O faturamento líquido do setor em 2013 foi de US$ 87,2 bilhões; em 2019, cai para US$ 54 bilhões.

“O compromisso do governo central, em momentos de crise, deve ser o de proteger cidadãos, empresas e sua economia. Não é o que estamos assistindo desde o início do aprofundamento da crise econômica, com a chegada da pandemia. O que observamos é o fechamento de empresas, aumento do desemprego, queda da renda das pessoas, aumento da pobreza e da pobreza extrema, desigualdades e fome, miséria e queda da arrecadação pública”, disseram os economistas do Dieese.

Eles também ressaltam que a Ford está entre as quatro montadoras mais contempladas com acesso aos recursos do BNDES em período recente. Entre 2002 e 2018, a Ford teve acesso a R$ 5,5 bilhões de crédito.

“A decisão de encerrar suas atividades no Brasil passa, portanto, por decisões estratégicas na matriz, mas também pela crise econômica no Brasil, afetando especialmente a capacidade de expansão do mercado interno, fundamental para alavancar vendas em setores como o automobilístico, em sua fase recente”, ressaltam Renata e Paulo.

Movimento sindical pode contribuir

O governo central deveria certamente entrar em cena para dialogar com a montadora alternativas para sua permanência no país, mas ao mesmo tempo garantir contrapartidas de investimentos, manutenção de empregos e, fundamentalmente, dialogar com o movimento sindical essas alternativas, segundo os economistas do Dieese.

Paulão concordou e disse que se o governo não tiver um plano nacional para a indústria podem chamar o movimento sindical para contribuir para combater o descaso do governo.

"Tem dinheiro para indústria nacional, isso a gente tem certeza. Agora se vocês não têm [Bolsonaro e Guedes] um plano para a indústria do país chamem o movimento sindical. Nós temos. É só chamar gente, queremos ser ouvidos" - Paulo Cayres, o Paulão

por Érica Aragão, Editado por Rosely Rocha | Redação CUT

Leia mais ...

Convênio do SINTPq com a Let's Go Clean garante descontos em serviços de higienização

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Vergonha de receber amigos e familiares por causa do seu estofado sujo e com odor? Com produtos e equipamentos de ponta, aliado a técnica, a Let's Go Clean pode te ajudar. A empresa é referência na higienização de estofados e agora faz parte da rede de convênios do SINTPq.

Confira os serviços:

  • • Higienização e impermeabilização de estofados em geral (sofá, colchão, poltronas, cadeiras, cabeceira, puff)
  • • Higienização interna de veículos (teto, colunas, bancos, carpete)
  • • Oxi-sanitização de ambientes (residencial, empresarial, veicular)

Os sócios e sócias do sindicato contam com 20% de desconto!

Atendimento delivery, não precisa se deslocar. Agende já sua higienização.

WhatsApp para orçamento: 19-99901-1987

Site: www.letsgoclean.com.br
Instagram: @letsgo_clean

Leia mais ...

Entidades parceiras parabenizam o SINTPq pelos seus 30 anos

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Em 13 de novembro, o SINTPq completou 30 anos de existência. A data foi celebrada através de uma live e campanha que permitiu o contato, mesmo que virtual com os sócios. Outra participação especial nas comemorações deste ano foi a dos companheiros e companheiras de entidades parceiras do sindicato. Através de vídeos, eles parabenizaram o SINTPq pelos anos de história e luta. O sindicato agradece as felicitações e apoio. Confira abaixo os vídeos que foram enviados:

Parceiros da Central Única dos Trabalhadores (CUT) Nacional, Estadual e Subsede Campinas

Mario Urchei | Diretor do Sinpaf - Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário

Elvira Regina | Diretora do Sindicato Afuse Campinas

Ângela Savian | Presidente Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região

Lourivaldo Rodrigues | Presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região

Renan Rocolatto | Presidente do Sindae Campinas

Marco Rúbio | Presidente do Sindicato dos Vidreiros

Adriana Monguini | Diretora regional do SindSaúde Subsede Campinas

Ana Lucia Ramos Pinto | Presidente do Sindicato dos Bancários de Limeira 

Wagner Romão | Ex-Presidente do ADunicamp – Associação de Docentes da Unicamp

Leia mais ...

Live no dia 30/11 relembra momentos marcantes da história do SINTPq

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

No dia 30 de novembro, o SINTPq encerrará as celebrações do seu mês de aniversário com uma live relembrando os momentos marcantes de sua história. A atividade acontece a partir das 19h, na página do sindicato no Facebook (fb.com/sintpq), e contará com a participação de dirigentes de diferentes gerações. Eles irão compartilhar suas lembranças, relatos e perspectivas para o futuro. 

Celebre esse momento especial com a gente. Acompanhe a live e compartilhe suas lembranças nos comentários. Será um momento especial para todos que fizeram e fazem parte dessa história. 

Leia mais ...

SindCast #31 debate os desafios da presença negra na ciência

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Neste Dia da Consciência Negra, o SindCast aborda as questões raciais que cercam os trabalhadores e trabalhadoras negras na área da pesquisa, ciência e tecnologia. Neste programa especial, relembramos a live realizada em maio deste ano com o diretor do SINTPq, Alex Zok, e o engenheiro químico Rodrigo Teodoro da Silva. Ambos são engajados na luta contra  racismo e trabalham na Amazul, empresa responsável pelo desenvolvimento do submarino nuclear brasileiro e que integra a base de representação do sindicato. Eles comentam os desafios enfrentados pelos trabalhadores negros no setor, o contexto histórico por trás do racismo na tecnologia e contam um pouco de suas trajetórias e lutas. Confira a live na íntegra através do link bit.ly/liveSINTPq e envie suas dúvidas e sugestões para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

 

 

Clique aqui para ouvir no Spotify

Leia mais ...

CPQD: Funttel vai liberar R$ 50 milhões para projetos de blockchain e IoT

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

O PAR (Plano de Aplicação de Recursos) de 2020 a 2022 da Fundação CPqD, que integra a base de representação do SINTPq, receberá um importante aporte. Segundo matéria publicada no Uol/Portal do Bitcoin, o Ministério das Comunicações liberará R$ 50 milhões para projetos de desenvolvimento em blockchain e IoT. A liberação será feita via Funttel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações). A reportagem destaca ainda que, em julho do ano passado, o Ministério já havia liberado cerca de R$ 43 milhões para o PAR de 2019 a 2021 da fundação.

O projeto de tecnologia de registro distribuído é o IoT-Blockchain Fase 2. A iniciativa receberá cerca de R$ 2,7 milhões do total disponibilizado pelo Ministério. De acordo com o CPqD, o objetivo desse projeto é desenvolver componentes para plataformas de código aberto. Além disso, visa implementar aplicações seguras baseadas em blockchain.

Além do IoT-Blockchain Fase 2, os recursos serão utilizados em outros projetos da área de tecnologia. Um deles é a criação de uma plataforma 5G, que terá R$ 21 milhões do total do investimento aprovado.

Outro projeto é TeraNET Fase 2, com R$ 11 milhões à disposição. A iniciativa, segundo a assessoria, visa desenvolver sinais para implementação em circuitos integrados e dispositivos em fotônica integrada.

A Fundação também desenvolverá uma ‘Plataforma IoT’, focado em tecnologias para cidades inteligentes. O investimento é de R$ 13 milhões.

Por último, a fundação também alocará os recursos no projeto SemeAR, com foco na transformação digital de pequenos produtores do campo. O investimento é de R$ 2 milhões

Vale ressaltar que, conforme a publicação no Diário Oficial da União, a liberação dos valores previstos está condicionada à aprovação das Leis Orçamentárias Anuais.

Leia mais ...

SINTPq celebra 30 anos de história em live no dia 13/11

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Está chegando a hora do SINTPq assoprar as velinhas do seu bolo de 30 anos! Para celebrar esse momento mais que especial, uma live será realizada na sexta-feira (13), dia do aniversário do sindicato, com a participação de dirigentes e parceiros da entidade. A transmissão será feita na página do SINTPq no Facebook (fb.com/sintpq) a partir das 19h.

A live contará com falas e mensagens especiais de autoridades e companheiros históricos do SINTPq. Além disso, atrações especiais para os sócios do sindicato também estão programadas. A principal delas será a divulgação dos associados e associadas vencedores da campanha #EuFaçoParteDessaHistória. 

Em outubro, o SINTPq lançou a campanha convidando os sindicalizados a enviarem vídeos com mensagens de aniversário. O resultado foi ótimo, com vários vídeos surpreendentes sendo enviados. Uma comissão já avaliou os melhores e os três primeiros colocados serão apresentados na live. Eles ganharão uma TV 32", uma Air Fryer e uma caixa térmica, respectivamente.

Os sócios e sócias que estiverem acompanhando a live também conhecerão os brindes especiais de 30 anos que serão entregues a todos os sindicalizados. São brindes escolhidos com muito carinho e que servirão como uma lembrança desse momento marcante.

Infelizmente, devido à pandemia, as celebrações presenciais que estavam programadas tornaram-se inviáveis. Por isso, a live de sexta-feira terá um significado ainda maior. Participe desse momento de celebração, acompanhe a transmissão e mande suas mensagens nos comentários. A presença de cada trabalhador e trabalhadora na live será especial.

Leia mais ...

SINTPq inicia série de vídeos especiais de 30 anos

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Para celebrar esse momento especial, trazemos alguns relatos de dirigentes do sindicato que, juntamente com a categoria, construíram e constroem diariamente essa trajetória de luta e conquistas. Confira a seguir as palavras dos nossos diretores e diretoras. Novos vídeos serão lançados semanalmente.

Régis Norberto Carvalho | Diretor do SINTPq e trabalhador do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas

Filó Santos - Diretora do SINTPq e trabalhadora do CPQD - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações

Priscila Leal | Diretora do SINTPq e trabalhador do IPT 

José Paulo Porsani - Presidente do SINTPq e trabalhador do CPQD

Leia mais ...

SindCast #30 tira dúvidas a respeito das ações trabalhistas

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Quando direitos são desrespeitados e o diálogo não é suficiente, resta aos trabalhadores apelar à justiça. Esse apelo pode ser feito por ações movidas pelos profissionais, individualmente, e pelos sindicatos na esfera coletiva. Quais são as principais causas que levam a um processo trabalhista? Como funcionam os recursos? Quais são as etapas? Como trabalhadores e sindicatos podem atuar juntos ao longo dos processos? Essas e outras questões foram respondidas pelo advogado trabalhista Francisco Coutinho e pelo diretor do SINTPq, Régis Carvalho. Confira o episódio e envie suas dúvidas e sugestões para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

 

 

Clique aqui para ouvir no Spotify

 

Leia mais ...

Em meio a cortes na ciência, Bolsonaro utiliza o Sirius como plataforma política

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Após decretar cortes em bolsas de pesquisa e no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o presidente Jair Bolsonaro utilizou o Sirius, obra de governos anteriores, como plataforma de marketing político nesta semana. Na quarta-feira, dia 21, Bolsonaro participou da inauguração da primeira linha de pesquisa do Sirius, superlaboratório de luz síncrotron de 4ª geração sediado em Campinas e de responsabilidade do CNPEM, instituição pertencente à base de representação do SINTPq.

Se declarando "apaixonado" pela estrutura, o presidente projetou a possibilidade da região se tornar um Vale do Silício da biotecnologia. As palavras entusiasmadas de Bolsonaro, entretanto, não condizem com a prática. Desde 2019, os mais importantes órgãos federais de financiamento a pesquisas, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), estão sofrendo com cortes e ameaças constantes de inviabilidade financeira.

De acordo com matéria recente da Você S/A, a Capes já anunciou que 11.800 bolsas não serão renovadas, o que significa uma redução de 12%. Além disso, o orçamento da instituição caiu de 4,25 bilhões de reais para 2,2 bilhões em 2020.  

Em setembro de 2019, o CNPq chegou em uma situação crítica, ao anunciar que não teria recursos para seguir financiando 84 mil bolsistas até o fim do ano. Somente com o clamor da entidade e de diversos setores da sociedade civil, o governo voltou atrás e liberou R$ 250 milhões para a instituição. Apesar desse socorro na bacia das almas, o CNPq segue na corda bamba, com um futuro incerto e nebuloso.

Em matéria publicada em junho, o SINTPq denunciou como o desinvestimento na ciência prejudica as ações de combate à Covid 19. Sem uma política de Estado séria no setor, o Brasil tornou-se dependente de outros laboratórios e indústrias de insumos e equipamentos. E com a concorrência de vários países pela compra desses insumos, há menor oferta. O resultado é o aumento de mortes especialmente pela falta de equipamentos e insumos para testes e para o desenvolvimento de remédios e vacinas próprias.

SindCast #27 - CNPEM e Sirius na luta contra a Covid 19

O SindCast #27 aborda o papel do CNPEM e do Sirius no combate ao coronavírus. Para isso, temos um convidado especial: o diretor-geral do CNPEM, professor José Antônio Roque da Silva. Durante o programa, ele comenta a atuação do centro neste momento de pandemia, as pesquisas relacionadas ao vírus e os planos para o futuro. Enriquecendo o debate, o episódio também conta com o diretor do SINTPq e profissional do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, Régis Norberto Carvalho.

 

Leia mais ...

Acompanhamento psicológico é fundamental durante tratamento do câncer de mama

  • Publicado em Acontece
  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

O câncer de mama implica em muitos casos na retirada dos seios durante ou após o tratamento, quando há altas chances de desenvolvimento de um segundo câncer. Os seios, para a maioria das mulheres, estão diretamente ligados a autoestima, mas não somente a aspecto como a ideia de amamentação e maternidade. A mastectomia é um processo delicado e doloroso, não apenas fisicamente como também psicologicamente.

Um dos acompanhamentos recomendados para mulheres com câncer de mama, é o psicológico. Mesmo em casos onde o tratamento não precisa ser tão radical, a debilitação do corpo e incerteza do futuro afetam a psique das pacientes.

Em entrevista a UNA-SUS, Lizete Dickstein, psiquiatra e psicanalista do Serviço de Saúde Mental do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), comenta que um dos sintomas mais comuns é depressão. No entanto, as pacientes também podem apresentar um estado de angústia e negação da doença, principalmente nos primeiros estágios após a descoberta.

Apesar de acompanhamentos psicológicos particulares ainda terem um alto custo, o SUS oferece nas Unidades de Saúde Básica (UBS) tratamento gratuito. Caso haja necessidades, os psicólogos das UBS encaminham o paciente para outros especialistas que possam ajudar no tratamento. O SINTPq também disponibilizou uma lista de profissionais que fazem atendimento gratuito e podem auxiliar durante esse processo.

Prevenção

Quando identificado precocemente, o câncer de mama é tratado em seus primeiros estágios, o que facilita o processo de cura. O SINTPq reforça para as mulheres a importância do autoexame e mamografias anuais após os 40 anos.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS