Menu

Comunicação

Assembleia na segunda-feira analisa nova proposta do Venturus

Sindicato e empresa realizaram nova reunião negocial na manhã de ontem, dia 11. Durante as tratativas, foi possível melhorar as condições anteriormente oferecidas e concluir uma nova contraproposta, que será levada para avaliação dos trabalhadores na segunda-feira, dia 16. A assembleia acontece às 9h, na portaria do condomínio GlobalTech.

A contraproposta segue garantindo a correção salarial conforme o IPCA (2,5350%). Em relação aos auxílios refeição e alimentação, os valores passariam para R$ 30,00/dia e R$ 520,00/mês, respectivamente. Esse aumento corresponde a mais de 5% de reajuste, o que representa aproximadamente 2,5% de ganho real. A primeira contraproposta previa apenas a correção inflacionária nos benefícios.

Também houve avanços na questão dos dias ponte. Os detalhes serão apresentados na assembleia.

Caso a contraproposta seja aceita na assembleia de segunda-feira, a campanha salarial será encerrada e os reajustes mencionados serão providenciados pela empresa. Em caso de recusa, as negociações deverão ser retomadas em meados de janeiro.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Pelo presente edital, o SINTPq – Sindicato dos Trabalhadores em Atividades (Diretas e Indiretas) de Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia de Campinas e Região, convoca todos os trabalhadores do Venturus a participarem da Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada em 16 de dezembro, às 9h, na portaria do condomínio GlobalTech, para deliberar a seguinte ordem do dia:

1) Deliberação da contraproposta da empresa para assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020;
2) Campanha de Sindicalização;
3) Outros assuntos.

Fica estabelecido que não havendo quórum, a Assembleia será realizada, em segunda convocação 15 minutos após, com qualquer número de presentes.

José Paulo Porsani
Presidente SINTPq

Engenharia brasileira tem o desafio de retomar empregos e investimentos

O ano de 2019 não foi suficiente para a retomada da atividade econômica e do emprego no Brasil. Com os baixos índices de crescimento na indústria e construção civil, a engenharia brasileira custa a se recuperar após a Lava Jato. O cenário pode piorar na medida em que não existe uma política de retomada dos investimentos e que a agenda econômica passa pela privatização.

O Brasil tem mais de 1 milhão de profissionais engenheiros e engenheiras espalhados em diversos ramos de atividade. O Paraná tem 61.085 engenheiros com registro válido no CREA-PR. A engenharia brasileira é a ponte para o desenvolvimento e a crise econômica é a barreira para os empregos dos engenheiros. Se de um lado, a indústria de transformação e a construção civil abriram as portas, de outro, depois de 2014, a queda de empregos ocorreu, sobretudo, na redução de investimentos em obras públicas e estruturais, além da reforma trabalhista.

“No Brasil, a Reforma Trabalhista institui uma intensa precarização das relações de trabalho, expandindo a informalidade e o rebaixamento dos salários. A superação da crise se dará com valorização da engenharia nacional, com investimentos públicos em infraestrutura e uma economia com a presença do Estado e da soberania”, destaca Clovis Nascimento, presidente da Fisenge.

Do boom à estagnação

Quando analisada a origem do investimento público, percebeu-se que, em todos os anos, que o boom se deveu, em sua maior parcela, aos investimentos com origem nas empresas públicas da União, tendo atingido 1,9% do PIB em 2010 e 2013. É o período de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Minha Casa, Minha Vida, obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas.

“A ocupação total de engenheiros começou a cair em 2016, após atingir o maior patamar em 2015 (504 mil engenheiros), um ano depois do início da queda do número de vínculos formais da engenharia, que chegou a registrar 262 mil vínculos em 2014”, anota o livro “O mercado de trabalho e a formação dos engenheiros no Brasil”, produzido pela Fisenge e DIEESE.

Os engenheiros reconhecem o papel central do Estado Brasileiro. Pesquisa realizada durante a 76ª Semana Oficial de Engenharia e Agronomia (SOEA) apontou que mais de 80% dos engenheiros são a favor do papel do Estado na estratégia de desenvolvimento do país. A análise ainda perguntou sobre atuação profissional, posicionamento político, expectativas para o mercado de trabalho da área e conhecimento sobre a tramitação da PEC 108/2019. 77,4% se mostram contrários à proposta.

Em relação ao cenário econômico, 44,3% dos engenheiros acreditam que tende a melhorar nos próximos 2/3 anos, enquanto 25,5% esperam que se manterá estável e 23,9% confiam que tende a piorar.

Contudo, os números atuais contrariam qualquer otimismo. Para o DIEESE, que analisou a atividade econômica entre 2018 e 2019, o cenário é de uma economia em semi-estagnação. Apesar de alguma melhora nos investimentos e no consumo das famílias, o recuo de gastos do governo e as variações negativas da indústria de transformação indicam que esse baixo dinamismo deve continuar.

“Vai se consolidando um cenário, para 2020, de crescimento vagaroso, em meio à incerteza sobre os rumos da política econômica: o “novo normal” da economia brasileira é crescer a taxas mais discretas, insuficientes para sustentar a expansão do emprego assalariado formal”, frustra o Dieese.

por redação Portal Brasil de Fato - Curitiba | Edição: Pedro Carrano

SIDI apresenta proposta e assembleia é marcada para segunda-feira (16)

Após a realização de reuniões negociais entre SINTPq e SIDI, a direção da empresa apresentou oficialmente sua contraproposta para a campanha salarial 2019/20. Com isso, nova assembleia será realizada na segunda-feira (16), às 14h, no Auditório Sequoia.

As condições oferecidas garantem reajuste salarial conforme o IPCA (2,54%) para salários até R$ 10.000,00. Remunerações acima desse valor teriam reajuste fixo de R$ 254,00.

Em relação aos benefícios econômicos, a empresa propõe a correção inflacionária acrescida de 3% de ganho real, totalizando 5,54% de reajuste.

Durante a assembleia de segunda-feira, os funcionários poderão avaliar a contraproposta, manifestar suas opiniões e votar pela sua aprovação ou recusa. Compareça e contribua com esse importante debate.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Pelo presente edital, o SINTPq – Sindicato dos Trabalhadores em Atividades (Diretas e Indiretas) de Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia de Campinas e Região, convoca todos os trabalhadores do SIDI a participarem da Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada em 16 de dezembro, às 14h, no Auditório Sequoia, para deliberar a seguinte ordem do dia:

1) Deliberação da contraproposta da empresa para assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020;
2) Campanha de Sindicalização;
3) Outros assuntos.

Fica estabelecido que não havendo quórum, a Assembleia será realizada, em segunda convocação 15 minutos após, com qualquer número de presentes.

José Paulo Porsani
Presidente SINTPq

SINTPq e Daitan acordam antecipação de parcela da PLR

O SINTPq, no intuito de contribuir com ações que favorecem os trabalhadores, acordou conjuntamente com a Daitan a antecipação de uma parcela da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de 2019. Anteriormente, o valor seria pago somente em junho de 2020. O pagamento dessa primeira parcela será feito no dia 13 de dezembro.

A direção do SINTPq não teria viabilidade para organizar e convocar uma assembleia para aprovação dos trabalhadores no prazo adequado. Dessa forma, o sindicato acordou com a Daitan a antecipação de parte da PLR. Os demais valores, ajustes e o acordo propriamente dito serão discutidos e assinados em maio de 2020.

Como legalmente a Daitan precisa da concordância formal do SINTPq para realizar o pagamento da PLR, o sindicato contribuiu na agilização do processo, entendendo que essa antecipação de recursos será benéfica para os trabalhadores, que receberão um valor adicional em meio ao período de festas.

Esse tipo de tratativa demonstra o diálogo aberto entre SINTPq e Daitan e é mais um exemplo da atuação do sindicato no cotidiano dos funcionários. 

Os profissionais que ainda não conhecem o trabalho desempenhado pelo SINTPq, podem entrar em contato a qualquer momento para tirar dúvidas e saber mais. O sindicato segue buscando fortalecer o diálogo com os funcionários e acredita que essa abertura terá reflexos positivos.

Assinar este feed RSS