Menu

Comunicação

Instituto Eldorado: Assembleia da campanha salarial acontece na sexta-feira, dia 17

A Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Atividades (Diretas e Indiretas) de Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia de Campinas e Região – SINTPq, convoca todos os trabalhadores do Instituto de Pesquisas Eldorado para que compareçam na Assembleia Geral Extraordinária que será realizada no próximo dia 17 de outubro de 2014, na portaria da empresa – Avenida Erico Veríssimo, s/nº – Cidade Universitária, Campinas – às 13:00 horas em primeira convocação e não havendo quórum às 13h30 em segunda convocação com qualquer número de pessoas presentes para deliberar sobre a seguinte pauta:

1) apresentação de contraproposta da empresa para a Campanha Salarial 2014/2015.

Régis Norberto Carvalho
Presidente - SINTPq

Especialistas debatem conhecimento científico e tecnológico em São Paulo

O que ciência e tecnologia têm a ver com inclusão e desenvolvimento social? Muito. Por esse motivo, esse é o tema da 11ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), que começa em todo o país nesta segunda-feira (13). Idealizado em âmbito nacional pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a proposta desta edição é estimular as instituições a abordar o tema a partir de sua dimensão social, como instrumento de inclusão, transformação e desenvolvimento humano. Em Campinas e em São Paulo, o SINTPq é um dos organizadores da Semana.

Em São Paulo, a 1ª Semana de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento será organizada pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE) de 13 a 17 de outubro. Durante o evento especialistas de diversas áreas debaterão os seguintes eixos temáticos: “Ciência e Tecnologia e participação popular na gestão de riscos, desastres e a construção de cidades mais seguras e resilientes”; “Meninas cientistas”; e "A inovação para os microempreendedores individuais, médias e pequenas empresas e empreendimentos de economia solidária."

Para o secretário municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo e presidente do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Artur Henrique da Silva Santos, o evento é uma oportunidade para debater temas relevantes para a cidade de São Paulo e de popularizar o conhecimento científico e tecnológico. “Estamos seguindo a diretriz do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação que tem incentivado as demais esferas de governo a realizar encontros desse tipo”, afirma.

A abertura foi realizada no Salão Nobre da Câmara Municipal com uma palestra de Jorge Kalil, professor titular de Imunologia Clínica e Alergia da Faculdade de Medicina da USP e diretor do Instituto Butantan, com o tema "O papel da Ciência e da Tecnologia no desenvolvimento social e econômico."

Na terça-feira (14), os debates serão realizados na sede do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo, com participação de Sidnei Furtado, promotor para o Brasil do programa Cidades Resilientes, da ONU. Milton Roberto Persoli, coordenador-geral da Defesa Civil da cidade de São Paulo, e Eduardo Soares de Macedo, geólogo pesquisador do Centro de Tecnologias Ambientais do IPT tratam sobre gestão de riscos ou gestão de desastres.

O tema do dia 15, quarta-feira, no Centro Cultural São Paulo, é "Meninas cientistas”, em que participam Denise Motta Dau, secretária municipal de Políticas para Mulheres, Yara Marangoni, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Meteorologia da USP, Thatiane Lima, aluna de Engenharia de Materiais da Escola Politécnica da USP/Poli e ainda as estudantes de Ciências Sociais Bianca Vyunas e Maria Augusta Torres, pesquisadoras do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

No penúltimo dia, quinta-feira, o foco é “A Inovação para os microempreendedores individuais, médias e pequenas empresas e empreendimentos de economia solidária” com cinco palestrantes.

Para fechar a semana, Artur Henrique se reúne com os secretários municipais de Serviços, de Educação e de Finanças e Desenvolvimento Econômico, e com um representante da Câmara Municipal para tratar sobre “Contribuições para um Sistema Municipal de Ciência Tecnologia e Inovação”. Todas as palestras são gratuitas, mediante inscrição pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

A partir do dia 27 de outubro, a Semana Municipal de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento será levada aos Centros Educacionais Unificados (CEUs) para aproximar os estudantes do Ensino Fundamental e Médio do conhecimento científico. Estão previstas palestras, demonstrações práticas e oficinas para alunos, professores, comunidades locais e o público em geral.

1ª Semana de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento

13 de outubro, segunda-feira, das 14h às 17h
Abertura com Autoridades Públicas e Acadêmicas
Tema: O papel da Ciência e da Tecnologia no Desenvolvimento Social e Econômico
Jorge Kalil – Professor Titular de Imunologia Clínica e Alergia da Faculdade de Medicina da USP e Diretor do Instituto Butantan.
Participação da Agência de Notícias “Imprensa Jovem”, da Secretaria Municipal de Educação e do Coral da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Coordenador de mesa: Artur Henrique – Secretário Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo e Presidente do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia & Inovação
Onde: Salão Nobre da Câmara Municipal de SP
Viaduto Jacareí, 100 - 8º andar

14 de outubro, terça-feira, das 14 às 17h
Tema: A Ciência e Tecnologia e a participação popular na gestão de riscos, desastres e a construção de cidades mais seguras e resilientes
Cidades Resilientes – Sidnei Furtado, promotor para o Brasil do Programa de Cidades Resilientes da ONU
Gestão Participativa de Riscos - Milton Roberto Persoli, coordenador Geral da Defesa Civil da Cidade de São Paulo
Gestão de Riscos ou Gestão de Desastres? – Eduardo Soares de Macedo, geólogo Pesquisador do Centro de Tecnologias Ambientais do IPT
Coordenador de mesa: Roberto Garibe, secretário Municipal de Infraestrutura e Obras
Onde: Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo

15 de outubro, quarta-feira, das 14h às 17h
Tema: Meninas cientistas
Denise Motta Dau, secretária Municipal de Políticas para Mulheres
Dra. Yara Marangoni, docente do Instituto de Astronomia, Geofísica e Meteorologia da USP e doutora em Geofísica pelo IAG/USP
Thatiane Lima, aluna de Engenharia de Materiais da Escola Politécnica da USP/Poli, participante do Grupo de Estudo de Gênero e do Escritório Piloto
Bianca Vyunas e Maria Augusta Torres, estudantes de Ciências Sociais, Pesquisadoras do CNPq e FAPESP e assistentes do Departamento de Sociologia da USP
Coordenadora de mesa: Ros Mari Zenha, geógrafa e pesquisadora do Centro de Tecnologia do Ambiente Construído – CETAC/IPT
Onde: Centro Cultural São Paulo, Sala Jardel Filho

16 de outubro, quinta-feira, das 14h às 17h
Tema: A Inovação para os microempreendedores individuais, médias e pequenas empresas e empreendimentos de economia solidária
Solução de problemas tecnológicos e de gestão para micro, pequenas e médias empresas – Mari Tomita Katayama, pesquisadora do Núcleo de Apoio Tecnológico às Micro, Pequenas e Médias Empresas do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de SP – NTMPEs
Ciência e Tecnologia e Inovação Social em Tecnologias Assistivas – Irma Passoni, pedagoga, foi relatora da CPMI “Causas e Dimensões do atraso científico e tecnológico no Sistema de Ensino, Pesquisa e Extensão” e Presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia e Comunicação da Câmara dos Deputados
Educação Empreendedora no Ensino Técnico e Tecnológico – Prof. Oswaldo Massambani, diretor da Agência de Inovação INOVA Paula Souza
O papel da Universidade no apoio aos empreendedores: Painel de Inovação e a Contribuição da USP – Dra. Luciane Ortega, vice coordenadora da Agência USP de Inovação e Doutora em Engenharia Mecânica
Incubadora da Universidade Mackenzie – Augusto Aielo
Coordenador de mesa: Prof. Maurício Benedetti, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Onde: Auditório da Escola Americana, Universidade Presbiteriana Mackenzie

17 de outubro, sexta-feira, das 14h às 17h
Tema: Contribuições para um Sistema Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação
Artur Henrique, secretário Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE) e Presidente do CMCT&I
Simão Pedro, secretário Municipal de Serviços
César Callegari, secretário Municipal de Educação
Marcos Cruz, secretário Municipal e Finanças e Desenvolvimento Econômico
Representante da Câmara Municipal de São Paulo
Coordenador de mesa: Luiz Barbosa de Araújo, coordenador de Desenvolvimento Econômico da SDTE
Onde: Sede da Prefeitura Municipal de SP
Viaduto do Chá, 15 - 7º andar

Mudança dos tempos: o fim das lan houses

Batizado como “Lei das Lan Houses”, o PLC 28/2011 é de autoria do deputado Vieira Reis (PMDB/RJ) e “declara tais estabelecimentos como de especial interesse social para universalização do acesso à rede mundial de computadores”. Ainda discutido ao longo de 2013, do ponto de vista de 2014 é um claro sinal de como as mudanças da sociedade civil são mais rápidas do que qualquer legislação.

Como evidência disso, há a notável informação de que foi fechada a última Lan House existente na comunidade de Heliópolis, o maior aglomerado humano de moradias populares da Grande São Paulo. Antiga favela reurbanizada, é verdadeiramente uma pequena cidade dentro de uma metrópole.

Algumas últimas Lan Houses em funcionamento, como a “MA Serviços” em Taboão da Serra, vem mudando seu perfil. Ao invés de vender acesso à web, passam a ser uma loja de internet e informática, oferecendo equipamentos, manutenção e aulas de inclusão digital.
Lan Houses x Smartphones

A velocidade do fim das Lan Houses acompanha a escalada de vendas de smartphones. Comparando com 2013, a alta de comercialização destes aparelhos nas lojas é de 179%. Já é possível ter boas opções a partir de R$ 300,00.

De todo volume de celulares vendidos no país diariamente,  os smartphones representam 79%.  Especialistas da empresa de pesquisas de mercado Nielsen, consideram ser possível este número chegar a 85% até o final deste ano.

A revolução em andamento, com a mudança de conexão da internet preferencialmente por bandas móveis em detrimento das bandas fixas, tem provocado súbitas transformações de forma geral na maneira das pessoas acessarem a web.

A navegação por celulares  trouxe  individualidade e livre acesso a internet para as pessoas. Ao invés de dividir espaço e de tempo contado como se fosse um taxímetro na Lan House, o consumidor por planos de R$ 30,00 a R$ 40,00 já pode ficar 24 horas online.

O impacto é tão grande e súbito, que mesmo grandes corporações como bancos, precisaram rapidamente lançar aplicativos para levar seu atendimento para a móbile comunicação.

Portanto a opção da população, e de forma inequívoca também nas camadas de renda C, D e E foi clara:  é mais interessante comprar seu smartphone, mesmo em parcelas com juros em redes de lojas como Pernambucanas, Magazine Luíza, Casa Bahia, Ponto Frio e outras, do que gastar dinheiro por pequenas faixas horárias em concorridas Lan Houses de tempos atrás.

Wi - Fi Público

Complementa este cenário as iniciativas do Governo Federal e diversas prefeituras de dotarem com infra- estrutura de acesso à internet diversos espaços públicos como parques, praças e centros comunitários de periferia.

Esta conexão pública e gratuita tem sido útil para muitos jovens de baixa renda como maneira de acessarem a web,  sem assumirem planos pós-pagos das operadoras de telefonia.

Permitem assim uma maneira autônoma de buscar notícias, ouvir música, ver vídeos e usar a internet para empreender e interagir.  Essa atitude de socializar e somar conhecimento com liberdade tem transformado as perspectivas de vida de muitos.

Essas mudanças de paradigma demonstram  o poder de mudanças provocado pelo manuseio próprio e pessoal da tecnologia, com o acréscimo de novas percepções, novas habilidades e expansão das formas de capacidade cognitiva.

As Lan Houses podem ter ficado para trás, tristes devem ter ficado seus empreendedores. Mas abriu-se um novo futuro onde sociedade e internet popularizada mostram-se cada vez mais íntimos.

Amazul: Trabalhadores já podem apresentar demandas para campanha salarial 2015

Os trabalhadores da Amazul já podem contribuir com a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2015. As sugestões devem ser encaminhadas para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até o dia 24 de outubro. As demandas recebidas via e-mail deverão ser aprovadas pelos trabalhadores em assembleia geral a ser convocada.

A Campanha Salarial 2014 está sob decisão da justiça. O dissídio foi aprovado pelos trabalhadores em assembleia geral, ante a contraproposta enviada pela empresa.

A data-base dos trabalhadores da Amazul é 1º de janeiro.

Participe da campanha salarial. Envie suas contribuições e discuta as relações de trabalho em sua empresa. 

Assinar este feed RSS