Menu

Comunicação

Assembleia no CTMSP esclarece dúvidas sobre o Dissídio de Greve

Na manhã de ontem, dia 19, o SINTPq conversou com os profissionais da Amazul em assembleia no CTMSP. Após o encontro, surgiram alguns questionamentos sobre um possível recesso da Secretaria de Dissídio Coletivo do TRT, responsável pelo julgamento do processo.

O jurídico do sindicato verificou que não haverá recesso na secretaria. As sessões normalmente acontecem semanalmente e são os desembargadores que decidem quais processos entrarão na pauta. No caso do dissídio da Amazul, o responsável por essa decisão será o Des. Rafael Pugliese, relator do processo.

Quando o julgamento do dissídio for posto em pauta, o tribunal intimará as partes por meio da imprensa oficial. Segundo o jurídico do SINTPq, normalmente a notificação ocorre com uma semana de antecedência. Portanto, haverá tempo hábil para que os funcionários se organizem para assistir o julgamento.

No dia 26 de junho, será a vez dos profissionais do CEA discutirem a campanha salarial. A assembleia acontece a partir das 9h, no auditório do Centro. Compareça e traga suas contribuições para o debate.

Jogo do Brasil: SINTPq inicia atividades às 12h na sexta-feira

O sindicato terá horários diferenciados nos dias de jogo da seleção brasileira. Confira abaixo:

22/06 | A partir das 12h
27/06 | Das 8h às 14h

Em caso de classificação do Brasil para a segunda fase da competição, os próximos horários de funcionamento serão divulgados.

 

Unicamp disponibiliza portfólio de patentes e softwares on-line

A partir dessa semana, interessados em conhecer as tecnologias da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) podem acessar o site patentes.inova.unicamp.br para conferir os perfis tecnológicos das patentes e também dos softwares que compõem o portfólio da universidade. A iniciativa, liderada pela Agência de Inovação da Unicamp, visa facilitar o acesso e também o processo de licenciamentos das tecnologias ao mercado.

Do total de 1.121 patentes e 210 softwares que compõem o portfólio, 826 deles já têm perfil na plataforma. Os demais encontram-se em fase de produção e serão inseridos gradativamente.

“O Portfólio On-line apresenta as patentes e os softwares da Unicamp em perfis tecnológicos focados no negócio, nas aplicações industriais e nas vantagens de cada tecnologia. Além de ser uma maneira mais amigável de mostrar essas tecnologias, o portfólio possui também um importante mecanismo de busca para a prospecção do maior número de tecnologias de uma determinada área de interesse”, afirma a diretora de Propriedade Intelectual da Inova Unicamp, Patrícia Leal Gestic.

As tecnologias estão divididas de acordo com as classificações da base de patentes internacional Questel Orbit, totalizando 36 categorias mais uma área destinada aos programas de computador.

“Estrategicamente, o portfólio é a primeira porta que se abre às empresas interessadas nas tecnologias patenteadas pela Unicamp. Ao facilitar essa interação, conseguimos fazer com que essas patentes virem produtos, incentivar novas pesquisas a partir das tecnologias protegidas e buscar mais parceiros para a universidade. Vale ressaltar que o portfólio confere acesso ao conhecimento a terceiros e abre portas à cooperação”, avalia a diretora de Parcerias da Inova Unicamp, Iara Ferreira.

Além de facilitar a forma como as tecnologias são apresentadas ao mercado, o Portfólio On-line cumpre também uma exigência do Novo Marco Legal da Inovação. No artigo sexto da lei nº 10.973, de 2004, incluído pela lei nº 13.243, de 2016, está expresso que a contratação, com cláusula de exclusividade, deve ser precedida de publicação da oferta tecnológica em site oficial da Instituição de Ciência e Tecnologia, na forma estabelecida em sua política de inovação. Dito de outro modo, para que uma tecnologia possa ser licenciada com exclusividade para uma empresa, sem a necessidade de publicação de um edital, a oferta tecnológica deve estar disponível para consulta em site oficial da instituição, bem como agora é feito no Portfólio On-line de Patentes e Softwares da Unicamp.

“A Unicamp zela por sua vanguarda na promoção da inovação e no incentivo ao empreendedorismo de base tecnológica no meio acadêmico. Por esse motivo, iniciativas como essa de disponibilizar on-line todo o nosso portfólio de patentes e softwares vem ao encontro da nossa missão de potencializar nossa interação com o mercado e gerar mais benefícios para a universidade e, principalmente, para a sociedade”, finaliza o diretor-executivo da Agência de Inovação Inova Unicamp, Newton Frateschi.

Venturus: Trabalhadores mantêm compensação do dia 19/11

Em assembleia nesta segunda-feira (18), os profissionais do Venturus discutiram a compensação e o trabalho no dia 19 de novembro, véspera de feriado. Recentemente, a empresa manifestou interesse em manter as atividades nessa data, mesmo com a questão já definida no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

Por votação quase unânime, os presentes recusaram a proposta do Venturus, que, em troca do dia 19, garantia 16 horas de liberação. Metade desse tempo seria utilizado nos jogos do Brasil na Copa do Mundo. As 8 horas restantes seriam divididas entre os dias 1º e 26 de julho, reduzindo a compensação diária em 4 minutos.

Após a recusa, não houve consenso sobre uma contraproposta a ser levada à empresa. Portanto, a decisão dos trabalhadores é pelo cumprimento do ACT, mantendo a compensação do dia 19 de novembro.

Acordo Coletivo garantiu a vontade dos trabalhadores

Infelizmente, muitas pessoas ainda desconhecem a importância dos acordos e negociações coletivas, conduzidas todos os anos pelo SINTPq. O alto índice de recusas à contribuição sindical é uma prova dessa realidade no Venturus.

O ACT é uma garantia aos direitos e vontades dos trabalhadores, que são discutidas e acordadas durante a campanha salarial. Sem ele, a empresa poderia alterar benefícios e dias pontes ao seu bel prazer, pois não são questões regidas pela CLT.

Este momento deve servir como ponto de reflexão sobre a importância da atividade sindical. Somente o fortalecimento da representatividade, por meio da sindicalização, poderá manter esse trabalho nas próximas campanhas salariais.

A direção do Venturus já sinalizou que os dias pontes serão rediscutidos na próxima negociação. Neste momento adverso, cabe aos trabalhadores e trabalhadoras decidirem o quão forte querem que sua entidade representativa seja.

Assinar este feed RSS