Menu

Comunicação

Balanço do MTE mostra melhora do Brasil na relação com trabalhador estrangeiro

Com novas normas e investimento pesado em tecnologia, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) está melhorando a relação entre o Brasil e os trabalhadores estrangeiros. O balanço do trabalho estrangeiro, divulgado hoje, em Brasília, mostra que em 2014, um total de 51.751 trabalhadores estrangeiros foram autorizados a trabalhar no país. Outros cerca de 10 mil, que vieram ao Brasil para curtos períodos, como por exemplo, para a manutenção de equipamentos, foram autorizados diretamente nos consulados dos países de origem, graças a modernização da legislação e deixaram de entrar na estatística do MTE.

“Com a modernização da legislação e com os investimentos em tecnologia, como o uso, por exemplo do certificado digital, houve redução de 24% no número de processos atendidos na Coordenação Geral de Imigração. Estamos muito satisfeitos com esse resultado, que está reduzindo o tempo de atendimento aos trabalhadores e contribuindo com o desenvolvimento do País”, destacou o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias. “Desburocratizamos o atendimento aos estrangeiros, com resultados significativos e vamos seguir com nosso projeto de modernização do MTE, que já adotou o processo eletrônico em outras duas secretarias”, acrescentou.

Números

A Coordenação Geral de Imigração do Ministério do Trabalho e Emprego (CGIg/MTE) concedeu 47.259 autorizações de trabalho estrangeiro entre janeiro e dezembro passado, enquanto o Conselho Nacional de Imigração (CNIg) foi responsável pela emissão de 4.492 autorizações, no mesmo ano.

Das 47.259 autorizações emitidas pela CGIg no ano passado, 42.065 foram para homens e 5.194 para mulheres, 2.839 em caráter permanente e 44.420 temporários, sendo que, em relação ao prazo das concessões temporárias, 9.903 foi por até 90 dias, 7.143 por até um ano, 6.144 pelo prazo de dois anos com contrato de trabalho no Brasil e 21.230 pelo prazo de dois anos sem contrato de trabalho no Brasil.

Devido a medidas de modernização e desburocratização aprovados pelo CNIg, implementadas no decorrer de 2013 e e2014, houve uma oscilação de -24,24% nas autorizações concedidas pela CGIg, em relação a 2013.

Análise

Permanentes – Do total de 2.839 autorizações permanentes, 1.016 foi para investidor pessoa física. Para administradores, diretores, gerentes e executivos com poderes de gestão e concomitância a soma foi 1.728 e para outros 95.

Os italianos foram os estrangeiros que mais receberam autorização de trabalho permanente no país (456), os japoneses receberam (404) e os portugueses 319. O principal destino foi: São Paulo (1.424), Rio de Janeiro436, Ceará 234, Bahia 119 e outros 626.

Quando o recorte é a autorização para investidor pessoa o maior número de concessões foi para italianos (319) seguidos dos chineses (159) e portugueses (149). Os principais destinos destes investidores foi São Paulo (327), Ceará (187) e Rio Grande do norte (127).

Os executivos integrantes de direção de empresas no Brasil, exceto concomitância, vieram principalmente do Japão (332), da Coréia do Sul (123), da Espanha (130), França (123) e Portugal (119) e os principais destinos destes profissionais for São Paulo (908), Rio de Janeiro (225) e Paraná 51.

Temporárias – O maior número de autorizações temporárias foi concedido para trabalho a bordo de embarcação ou plataforma estrangeira 15.117; para estrangeiro na condição de artista ou desportista, sem vínculo empregatício 9.899. Para trabalhar com assistência técnica, cooperação técnica e transferência de tecnologia sem vínculo empregatício, ao contrário dos anos anteriores, não foi emitido nem um visto em 2014 uma vez que este tipo de visto agora pode ser emitido pelos consulados do Brasil no exterior e não mais pela CGIg/MTE, conforme aprovado pela RN61 do CNIG).

Para assistência técnica, cooperação técnica e transferência de tecnologia, sem vínculo empregatício foram emitidas 6.398 autorizações, para especialista com vínculo empregatício foram emitidos 5.703, para marítimo estrangeiro empregado a bordo de embarcação de turismo estrangeiro que opere em águias brasileiras 5.826 e para outros 1.477 autorizações.

Além disso, 6.574 estrangeiros tiveram a estada no país prorrogada e outros 1.721 tiveram suas autorizações temporárias transformadas em permanentes.

Considerando o total geral de autorizações para trabalho temporário no país a maioria foi para norte-americanos (5.742) seguido pelas Filipinas (4;542), Reino Unido (3.249), Índia (3.249) e Itália (2.132.)

Os principais destinos foram os estados do Rio de Janeiro (19.121), São Paulo (16.557), Minas Gerais (1.611) e Espírito Santo (6.025). Destes 24.243 com nível superior, 17.628 com ensino médio completo e 1.525 com mestrado e doutorado.

Análise CNIg – O Conselho Nacional de Imigração (CNIg) - órgão responsável pela política de imigração no país – autorizou a concessão de 4.492 vistos permanentes ou residência permanente no país, das quais, 3.891 para pessoas do sexo masculino e 601 para pessoas do sexo feminino, sendo 3.865 em caráter humanitário e 285 devido a união estável, sem distinção de sexo.

A nacionalidade que mais solicitou pedido de residência no país foi a haitiana (1.891 pedidos). Em segundo lugar aparecem os bengalis com 1.195 contra zero registrado em 2012 e 35 registrado em 2013.

Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego

Pesquisadoras brasileiras conquistam prêmios internacionais

As contribuições do trabalho científico de duas pesquisadoras brasileiras foram reconhecidas internacionalmente com a conquista do L'Oréal-Unesco para Mulheres na Ciência e International Rising Talents.

As conquistas da astrofísica Thaisa Storchi Bergmann e da famacêutica Carolina Horta Andrade foram lembradas pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, em artigo publicado no último domingo (8) para parabenizar o público feminino pelo Dia Internacional da Mulher.

Thaisa Bergmann foi a vencedora do Prêmio L'Oréal-Unesco para Mulheres na Ciência, para a região da América Latina e Caribe, na edição de 2015.

A homenagem tem como objetivo valorizar a posição das mulheres na ciência por meio do reconhecimento de notáveis pesquisadoras, cujo trabalho contribui para o progresso científico.

Membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS), Thaisa foi a primeira cientista a detectar a presença de um disco de acreção em torno de um buraco negro no centro de uma galáxia inativa.

A pesquisadora concluiu a graduação e o doutorado em física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o mestrado na mesma área pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Com pós-doutorado na Universidade de Maryland e no Instituto do Telescópio Espacial, além de estágio sênior no Instituto de Tecnologia de Rochester, nos Estados Unidos, a astrofísica é atualmente professora associada do Instituto de Física da UFRGS, onde é chefe do Departamento de Astronomia e do Grupo de Pesquisa em Astrofísica.

"Sinto-me muito honrada pelo prêmio, que significa o reconhecimento do meu trabalho. Quero ser capaz de contribuir para a melhor compreensão do nosso universo, e estou muito feliz por tudo isso", afirmou a Thaisa.

Premiação

O júri internacional alterna a cada ano entre as categorias Ciências da Vida e Ciências dos Materiais e seleciona uma vencedora de cada uma das cinco regiões: África e Oriente Médio; Ásia-Pacífico; Europa; América Latina e Caribe; e América do Norte. As laureadas recebem um prêmio no valor de US$ 100 mil.

O Prêmio L'Oréal-Unesco Para Mulheres na Ciência já reconheceu 82 cientistas de todo o mundo, incluindo cinco membros da ABC, além de Thaisa Bergmann: Beatriz Barbuy, Belita Koiller, Lucia Previato, Marcia Barbosa e Mayana Zatz.

Além de seu Prêmio anual, a parceria L'Oréal-Unesco criou nesta edição o programa International Rising Talents com o objetivo de acelerar o avanço de 15 jovens mulheres na ciência em todo o planeta.

Esses talentos foram escolhidos entre mais de 230 bolsas de estudo concedidas a cada ano nas edições regionais do programa, em todo o mundo, incluindo o Brasil.

Pesquisa em saúde

A jovem cientista Carolina Horta Andrade foi reconhecida por sua descoberta de um medicamento multifuncional para tratamento da Leishmaniose, que afeta cerca de 12 milhões de pessoas em todo o mundo. Thaisa e Carolina serão homenageadas no dia 18 de março, em cerimônia que acontecerá na Sobornne, em Paris.

Carolina Andrade possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e doutorado em Fármacos e Medicamentos pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), com estágio de doutorado-sanduíche em Química Medicinal e Computacional na University of New Mexico, nos Estados Unidos.

Atualmente, ela é professora adjunta da Faculdade de Farmácia da UFG e líder do grupo de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) do Laboratório de Planejamento de Fármacos e Modelagem Molecular.

Em 2014, a pesquisadora e professora da Universidade Federal de Goiás (UFG) também foi uma das sete vencedoras da edição nacional do Prêmio Para Mulheres na Ciência, promovido pela L'Oréal, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura e pela ABC.

Fonte: Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação

Aneel divulga ranking de qualidade do serviço das distribuidoras de energia

A Agência Nacional de Energia Elétrica publicou, nesta quinta-feira (5), o ranking anual das concessionárias de distribuição de energia elétrica. As concessionárias CPFL Santa Cruz, Coelce e Cemar foram as três primeiras colocadas entre as grandes distribuidoras.

De acordo com informações da Aneel, o índice de Duração Equivalente de Interrupção (DEC), responsável por medir o número de horas, na média, que o consumidor fica sem energia, apresentou melhor pelo segundo ano consecutivo com uma queda de 39 minutos em relação ao resultado de 2014.

A Frequência Equivalente de Interrupção (FEC), que indica quantas vezes em média houve interrupção no fornecimento de energia, continua em queda e foi de 9,94 vezes – contra as 10,49 vezes de 2013.

O ranking avaliou todas as concessionárias do País para o período de janeiro a dezembro de 2014 e foi dividido em dois grupos, de acordo com o porte da empresa. São 36 concessionárias de distribuição consideradas de grande porte, com o mercado faturado anual de energia maior que 1 TWh (terawatt hora), e 27 concessionárias consideradas de menor porte, com o mercado faturado anual menor ou igual a 1 TWh.

Pequenas distribuidoras

No mercado inferior a 1 TWh, as três melhores foram: Força e Luz Coronel Vivida (Forcel, PR), DME Distribuição S.A (Dmed, MG) e a Empresa Força e Luz João Cesa (EFLJC, SC).

Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica

CNPEM: Mesa Redonda no Ministério do Trabalho discute Campanha Salarial

O SINTPq participa na próxima sexta-feira, dia 13 de março, de uma Mesa Redonda com o CNPEM. O encontro ocorrerá às 13h30, na Gerência Regional do Trabalho de Campinas.

A pauta da Mesa Redonda discutirá a Campanha Salarial 2014/2015. O SINTPq solicitou a mediação à Gerência Regional do Trabalho devido ao fato da direção do CNPEM não apresentar, até o último dia de fevereiro, uma resposta à proposta do sindicato e não encaminhar a ata da última reunião.

O SINTPq tem como objetivo esgotar a negociação nessa reunião, podendo assim avançar na obtenção de demandas apresentadas na pauta de reivindicações e superar impasses colocados pela direção do CNPEM.

Após a Mesa Redonda, uma assembleia com os trabalhadores do CNPEM será convocada para apresentar e debater os encaminhamentos da mediação.

O sindicato espera que a direção do CNPEM apresente uma contraproposta, para que assim a Campanha Salarial possa caminhar de forma favorável e de acordo com os anseios dos trabalhadores.

Assinar este feed RSS