Menu

Comunicação

Desemprego no Norte cai e se iguala ao Sudeste

 Pela primeira vez o desemprego na região Norte igualou-se ao da região Sudeste na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD Contínua), do IBGE, divulgada nesta terça-feira.

A região Norte foi a que teve maior redução em sua taxa de desocupação no último trimestre. Em relação ao mesmo período de 2013, o desemprego na região caiu 0,6 ponto percentual, passando de 7,5% para os atuais 6,9%. E em relação ao segundo trimestre a queda foi de 0,3 ponto.

Já no Sudeste, a taxa - de 6,9% - permaneceu praticamente estável em relação ao segundo trimestre de 2014 (6,9%) e ao mesmo período de 2013 (7%).

O levantamento - criado para substituir a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) a partir de 2015 - ainda tem uma série histórica relativamente curta: ele começou a ser divulgado no primeiro trimestre de 2012.

Especialistas, porém, interpretam a convergência como um fenômeno mais amplo e longevo de redução das desigualdades regionais do mercado de trabalho, que seria impulsionado também por uma queda do desemprego na região Nordeste, como explica o economista Marcelo Manzano, da Unicamp.

"Por um lado, temos uma melhoria da renda e da realidade social das famílias do Norte e Nordeste: os jovens estão atrasando sua entrada no mercado para estudar e os idosos estão conseguindo se aposentar mais cedo, o que reduz o número dos que procuram trabalho", diz Manzano.

"Por outro, a economia dessas duas regiões vêm crescendo mais rapidamente que a do Sudeste, o que tem ajudado a expandir a abertura de postos de trabalho. Já temos estudos mostrando, por exemplo, que profissionais qualificados formados no Sul e Sudeste estariam migrando para os Estados do Norte e Nordeste em busca de boas oportunidades de emprego."

A PNAD Contínua é feita trimestralmente em 3,5 mil municípios brasileiros.

Segundo os dados do 3º trimestre de 2014, a taxa de desocupação no Brasil foi de 6,8% - o que representa estabilidade em relação ao 2º trimestre deste ano (6,8%). Na comparação com o mesmo período de 2013, a queda foi de 0,1 ponto percentual.

A região Nordeste ainda é a que apresenta a maior taxa de desocupação do país - lá, 8,6% da população economicamente ativa está sem trabalho.

"Ainda há um grande contingente de população nas áreas rurais nordestinas disponível para o trabalho, o que acaba pressionando o indicador da região", explica Manzano. "É o que no jargão econômico chamamos de excedente estrutural de mão de obra."

No último trimestre, porém, essa foi a segunda região com maior queda no índice de desemprego em relação a igual período de 2013. A redução foi de 0,4 ponto percentual. E também houve queda de 0,2 ponto em relação ao segundo trimestre de 2014.

O Sul ainda é a região que apresenta o menor nível de desemprego: 4,2%. E no Centro Oeste a taxa também é tradicionalmente mais baixa em relação a média nacional. No último trimestre, ficou em 5,4%.

"É claro que, no atual cenário de desaceleração, nenhuma região se destaca como um oásis de novas oportunidades de trabalho", diz Leonardo de Souza, diretor executivo da Michael Page, empresa de recrutamento especializada em executivos de nível médio e alto.

Souza diz, porém, que nos últimos anos a empresa de fato tem notado um aumento da procura por profissionais qualificados para trabalhar no Norte e Nordeste do país.

De olho nesse mercado, a Michael Page abriu um escritório em Recife há pouco mais de dois anos e agora prepara a inauguração de um segundo ponto de operações em Salvador.

"Até pouco tempo, os executivos e profissionais que estavam dispostos a ir para o Norte ou Nordeste procuravam mudanças em seu estilo de vida - morar perto da praia, pegar menos trânsito. Agora, eles estão se mudando pensando em impulsionar a carreira, porque sabem que essa é uma fronteira importante para suas empresas."

Para Rodrigo Soares, diretor da empresa de recrutamento e seleção Hays, em um momento de desaquecimento da economia, os profissionais dispostos a mudar de cidade ou Estado costumam ter mais chance de encontrar um bom emprego.

Ele diz que uma pesquisa feita pela Hays com 8 mil trabalhadores em 500 empresas mostrou que o índice dos que avaliam oportunidades fora de seu atual local de trabalho já passa dos 60%.

"Outras regiões como o Nordeste de fato estão começando a entrar no radar dos trabalhadores qualificados", diz ele.

"Mas mesmo com o desaquecimento, o Sudeste ainda é um centro importante de geração de emprego em função da força de sua indústria, setor de serviços e podencial de consumo. Em termos quantitativos, muitas portunidades de emprego ainda estão nessa região."

Fonte: BBC Brasil

Universidade de Santa Catarina cria projeto de aeroporto abastecido por energia solar

A perspectiva de maiores investimento no setor de infraestrutura tem animado especialistas a desenvolver projetos inovadores. A proposta é que grandes obras podem ser menos agressivas ao meio ambiente e exigir menor uso de recursos naturais e das comunidades ao seu redor.

Para isso pesquisadores e engenheiros da Universidade Federal de Santa Catarina desenvolveram um projeto especial para o Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis. O projeto foi desenhado de forma a ser coberto totalmente por módulos fotovoltaicos. Com isso ele teria boa parte de autonomia energética, de 60 a 90%, conforme exposição do sol e estações do ano.

Estatísticas de viabilidade foram feitas e chegou-se a um cálculo de que, cobrando 25 centavos de cada passageiro usuário do local ao longo de um ano, o investimento estaria pago.

Projetos como esse tem uma importante função quando feitos em ambientes acadêmicos. É uma forma de pautar profissionais, sociedade e empreendedores, colocando novas ideias em um cenário de pouca inovação e ousadia.

Instituições Públicas percebem importância de contar com pesquisadores aposentados

Ainda é recente o ciclo de maturidade das instituições públicas focadas em pesquisa, ciência e tecnologia. Isso é decorrência da própria reestruturação destas áreas no organograma do Governo Federal e dos Governos Estaduais nas últimas três décadas.

É possível dizer que o campo das Instituições Públicas de pesquisa e inovação ganhou musculatura de maior porte, tangência, investimentos, suporte legislativo e proximidade com o emprego das soluções no setor privado de forma muito recente. Entretanto, este breve tempo de crescimento institucional, já praticamente contempla uma importante geração aposentada ou em fase próxima de aposentadoria. As próprias associações e sindicatos de servidores espelham esta realidade, com tempo de existência entre 20 e 40 anos.

As instituições já percebem o peso da potencial perda destas gerações. Especialmente porque se aproximam da aposentadoria na idade de 55 a 65 anos, no auge do saber, experiência e capacidade produtiva. E são eles que conhecem as estruturas e funcionalidades destas instituições.

Assim começam a ser abertos em diversas destas organizações programas de incentivo para estes profissionais prosseguirem na ativa. São elaborados planos de cargos e salários tendo estes “veteranos” como alvos. Oferece-se assim oportunidade de ganhar mais, muitas vezes trabalhando em cargas horárias menores, mas ocupando funções de supervisão, consultoria e acompanhamento.

Repete-se assim no setor de inovação nas Instituições Públicas, situação já existente em áreas como Justiça, Tribunais de Contas e Procuradorias, onde servidores aposentados prosseguem trabalhando, sob novo contrato, e assim continuando a colaborar com o patrimônio de seu conhecimento.

CPqD: Assembleia da Campanha Salarial acontece na quinta-feira, dia 11

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O Sindicato dos Trabalhadores em Atividades (Diretas e Indiretas) de Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia de Campinas e Região – SINTPq, convoca todos os trabalhadores do CPqD para que compareçam na Assembleia Geral Extraordinária que será realizada no próximo dia 11 de dezembro de 2014, no auditório da empresa - Rua Dr. Ricardo Benetton Martins S/N - Polo II de Alta Tecnologia Campinas – /SP – às 08h30 horas em primeira convocação e não havendo quórum às 09h00 em segunda convocação com qualquer número de pessoas presentes para deliberar sobre a seguinte pauta: 

1) Avaliação, discussão e deliberação da proposta da empresa para assinatura do acordo coletivo data-base novembro/2014;

2) Havendo recusa na proposta da empresa: Deliberação quanto decretação de greve ou a instauração de dissídio coletivo;

3) Outros assuntos.                                                                           

Régis Norberto Carvalho

Presidente - SINTPq

Os trabalhadores do CPqD rejeitaram em assembleia no último dia 24 a contraproposta da empresa para a Campanha Salarial 2014/2015 (confira íntegra no site do SINTPq). Com a rejeição, o SINTPq voltou à mesa de negociação com a empresa, que apresentou uma nova proposta (veja abaixo).

O SINTPq entende que a nova proposta do CPqD - chamada de proposta final pela empresa – é extremamente conservadora e pouco se difere da anterior, o que demonstra pouca vontade em avançar nas demandas apresentadas pelos trabalhadores. Demandas essas que acompanham as campanhas salariais dos funcionários do CPqD há alguns anos, como a regulamentação das viagens e deslocamentos.

Fazendo uma simulação com a nova proposta: com 0,31% de aumento real e se todos que estão na primeira faixa ganhassem R$ 5.583,00 o acréscimo na folha de pagamento do CPqD seria de, aproximadamente, R$ 11.000,00. Considerando que os cargos designados e com os salários acima de R$ 11.656,01 vão receber menos que a reposição da inflação (6,59%), o CPqD estará economizando as custas desses trabalhadores mais de R$ 70 mil ao mês por não praticar sequer o IPCA nesses salários.

O discurso de que o maior patrimônio de uma empresa são seus recursos humanos não tem sido observado no CPqD e a “lógica” de aumentos reais apenas por mérito tem sido a política adotada pela empresa. O Sindicato entende que para além das promoções, aumentos reais de salários devem ser concedidos a todos os trabalhadores da empresa como reconhecimento e valorização coletiva dos funcionários na campanha salarial.

No caso dos deslocamentos em viagens o avanço foi que o CPqD retirou a carta compromisso e assume em Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que a partir de 1º de abril estará vigente uma regulamentação sobre banco de horas para esses deslocamentos.

Nos outros pontos nada mudou.

As demissões de funcionários da empresa nos últimos dias, ou seja, em plena Campanha Salarial, mostram o quão aberta ao diálogo está de fato a direção do CPqD. Essas demissões, que atingiram funcionários antigos e até empregados com filhos pequenos são mais um descompasso entre a teoria e as praticas da empresa, que afirma querer avançar nas relações humanas, mas demite seus trabalhadores em plena Campanha Salarial e com total falta de consideração.

Proposta ACT 2014/2015


CLÁUSULA PRIMEIRA – REAJUSTE SALARIAL

Reajustar os salários vigentes em 31/10/2014, a partir de 01/11/2014, conforme escalonamento a seguir:

Até R$ 5.583,00 - aplicar reajuste de 6,59% (IPCA) + 0,31% (aumento real)
De R$ 5.583,01 até  R$ 11.656,00  - aplicar reajuste de 6,59% (IPCA)
Acima de R$ 11.656,01 – valor fixo de R$ 785,44
Para cargos designados - valor  fixo de R$ 537,00

CLÁUSULA SEGUNDA – ANTECIPAÇÃO DA 1ª PARCELA DO 13º SALÁRIO

A primeira parcela do 13º salário de 2015 será antecipada por ocasião das férias gozadas entre os meses de janeiro a novembro. O adiantamento será concedido apenas quando solicitado pelo empregado no momento da programação de suas férias, e para os empregados que não se manifestarem, à primeira parcela será paga até o dia 30 de novembro de 2015.

CLÁUSULA TERCEIRA –  CARTÃO REFEIÇÃO/ALIMENTAÇÃO E CESTA BÁSICA

Este benefício será reajustado pelo IPCA de 6,59% passando para R$ 705,09 a partir de 01/11/2014. O colaborador participará de acordo com a Tabela Percentual de Participação Mútua - TPPM.

CLÁUSULA  QUARTA –  AUXÍLIO MEDICAMENTO

CPqD assegura a manutenção do benefício nos mesmos moldes já praticados e reajustará a parcela do empregado  em R$ 6,16 por mês e por beneficiário do plano.

CLÁUSULA  QUINTA –  INDENIZAÇÃO COM CRECHE/ASSISTÊNCIA PRÉ-ESCOLAR

O limite de reembolso das despesas será ajustado pelo IPCA acumulado em 6,59%, passando para R$ 357,61 a partir de 01/11/2014.  O colaborador participará de acordo com a Tabela Percentual de Participação Mútua - TPPM.

CLÁUSULA SEXTA – PRÊMIO CORPORATIVO

Não faz parte do ACT. A organização fortalece o objetivo dos Programas de Reconhecimento.

CLÁUSULA SÉTIMA –  DESLOCAMENTO EM VIAGENS E TRABALHOS FORA DA SEDE E DO HORÁRIO HABITUAL

O CPqD apresentará  até o dia 31 de março de 2015 uma proposta para implantação de  banco de horas específico para deslocamento de viagem, a serviço, a vigorar a partir de 01 de abril de 2015.

Parágrafo Único – A proposta será apresentada, em assembleia, para aprovação dos empregados.

CLÁUSULA OITAVA - SALVAGUARDA DOS PRÉ-APOSENTADOS

A FUNDAÇÃO CPqD assegura aos seus empregados, com pelo menos 5 (cinco) anos de vínculo empregatício , a garantia de emprego durante os 12 (doze) meses imediatamente anteriores à data da aquisição do direito a aposentadoria proporcional (conforme regras definidas pelo INSS), exceto nos casos de demissão por justa causa ou de avaliação de desempenho insatisfatória, desde que comunicado formal, através de documento expedido pelo INSS, e entregue pelo empregado à DRH quando adquirir a condição.

CLÁUSULA NONA  – COMPENSAÇÃO DE PONTES DE FERIADOS

O CPqD apresentou o cronograma de compensação de 32 horas para aprovação dos empregados em Assembleia Geral da categoria.

Dias a serem compensados: 21/04, 04/06, 09/07 e 08/12.

Período de compensação – 10 minutos - de 02/02/2015 a 13/11/2015.

Assinar este feed RSS