Menu

Editorial: SINTPq na luta pela vida e pela democracia

Charge: A democracia corre sérios riscos. Por Amarildo Charge: A democracia corre sérios riscos. Por Amarildo

O Brasil e o mundo atravessam um dos momentos mais turbulentos da história moderna. Com a pandemia do novo coronavírus e o consequente agravamento da crise econômica já existente, vidas e empregos estão sendo perdidos diariamente. Ao mesmo tempo, o vírus do racismo também segue fazendo vítimas, como o americano George Floyd, assassinado covardemente por um policial branco, e o menino João Pedro, morto no Rio de Janeiro durante operação da polícia.

Em meio a esse caos, o País enfrenta a escalada do autoritarismo. São frequentes as ameaças proferidas pelo governo Bolsonaro ao STF, Congresso e a qualquer um que tenha posicionamento distinto. Seja em entrevistas repletas de agressões a jornalistas ou em uma reunião ministerial recheada de palavrões, Bolsonaro e seus aliados de governo esbravejam a todo momento palavras de inspiração fascista, defendem a prisão de autoridades e sugerem que a pandemia seja aproveitada para afrouxar leis ambientais em meio a recordes de desmatamento e mortes de indígenas.

Como era de se esperar, no Brasil e no mundo, a sociedade não aceitou passivamente a escalada do autoritarismo e do racismo. Manifestações tomam as ruas dos Estados Unidos há uma semana exigindo justiça a George Floyd. No Brasil, o domingo foi marcado por atos antifascistas em diversas capitais cobrando respeito às liberdades democráticas e denunciando o racismo estrutural brasileiro.

Na visão do SINTPq, cada pauta das atuais manifestações é de extrema importância, pois não existe democracia verdadeira sem inclusão social e igualdade racial e de gênero. Também não há democracia sem respeito aos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras. A crise econômica nunca será superada com um governo que reduz o poder de compra dos trabalhadores com Medidas Provisórias precarizantes e com o recente congelamento salarial no setor público.

Uma democracia sólida e com desenvolvimento econômico é sustentada pelo respeito aos direitos humanos, investimentos públicos em pesquisa e educação, distribuição de renda e condições dignas de trabalho e seguridade social. Além dos elementos citados, o Brasil precisa de um governo que invista na saúde pública e que coloque a ciência acima de crenças pessoais e de interesses do mercado. Por isso, o SINTPq defende o “Fora Bolsonaro” e novas eleições já, livres de Fake News, para que o País evite uma convulsão social.

voltar ao topo