Menu

Comunicação

Ministério do Trabalho atualiza Cadastro Brasileiro de Ocupações

O Ministério do Trabalho e Emprego incluiu no Cadastro Brasileiro de Ocupações (CBO) 14 novas ocupações, com destaque para a inclusão dos profissionais Condutores de Turismo de Aventura e Condutores de Turismo de Pesca, realizada em parceira com o Ministério do Turismo e Ministério da Pesca, além da participação de trabalhadores que exercem a ocupação e entidades responsáveis pela formação desses profissionais.

A inclusão de ocupações na CBO permite inventariar as atividades desempenhadas pelos condutores de turismo, contribuindo diretamente no mapeamento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes mobilizadas para o exercício das atividades e servirá também para referenciar a capacitação desses profissionais.

A atualização da Classificação Brasileira de Ocupações ocorre todo ano e tem como foco rever descrições mediante incorporação ou supressão de ocupações e famílias ocupacionais, de acordo com a movimentação do mercado de trabalho.

Segundo o secretário de Políticas Públicas de Emprego do MTE, Silvani Pereira, “é visível que o mercado de trabalho passa por profundas transformações cujas causas têm natureza variadas, sejam econômica, tecnológica, política, cultural ou de costume. Estas mudanças – que envolvem entre outros aspectos novos conteúdos, condições e requisitos para o trabalho – contribuem para o surgimento de oportunidades de trabalho em novas ocupações”, salientou.

As inclusões ou revisões passarão a ser disponibilizadas na CBO a partir da segunda quinzena de fevereiro.

Veja a listagem das profissões que serão incluídas ou alteradas na CBO:

Fiscal de atividades urbanas

Cerimonialista

Condutor de máquinas (bombeador)

Condutor de máquinas (mecânico)

Condutor de Turismo de aventura

Condutor de Turismo de pesca

Gerontólogo

Higienista Ocupacional

Marinheiro Auxiliar de Convés

Marinheiro Auxiliar de Máquinas

Mototaxista

Naturólogo

Profissional de Relações com Investidores

Técnico em higiene ocupacional

Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego

Amazul: Reuniões de negociação discutem campanha salarial 2015

Na última segunda-feira (09) foi realizada a segunda reunião de negociação da Campanha Salarial 2015 dos trabalhadores da Amazul para discussão dos itens econômicos da pauta de reivindicações.

Os representantes da empresa solicitaram o adiamento da discussão, pois o DEST (órgão controlador) ainda analisa as demandas apresentadas. Os diretores do SINTPq e os representantes eleitos dos empregados solicitaram à empresa quais itens estão em diálogo com o DEST, entre outras informações.  

Amanhã (12), acontece uma nova rodada de negociações. O SINTPq espera que a empresa apresente contrapropostas que atendam as demandas dos empregados.

Pesquisadores desenvolvem sensor capaz de detectar dengue antes dos primeiros sintomas

Pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC-USP) e da empresa DNApta Biotecnologia, de São José do Rio Preto (SP), desenvolveram um biossensor capaz de detectar dengue antes de surgirem os primeiros sintomas da doença.

O dispositivo, criado durante um projeto de mestrado da estudante Alessandra Figueiredo e de um pós-doutorado realizado por Nirton Cristi Silva Vieira com Bolsa da FAPESP, foi desenvolvido no Grupo de Nanomedicina e Nanotoxicologia do IFSC-USP, coordenado pelo professor Valtencir Zucolotto, e no âmbito do Instituto Nacional de Eletrônica Orgânica (INEO) – um dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs) financiados pela FAPESP e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) -- pelo professor Francisco Guimarães.

E foi descrito em um artigo publicado na revista Scientific Reports, do grupo Nature.

“O biossensor é capaz de diagnosticar dengue com maior rapidez, menor custo e facilidade do que os testes laboratoriais existentes hoje”, disse Vieira, pós-doutorando no IFSC-USP e um dos autores do projeto, à Agência FAPESP.

A tecnologia do biossensor é baseada na detecção elétrica da proteína não-estrutural 1 NS1.

Esse tipo de proteína é secretada pelos quatro tipos de vírus da dengue (DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4) e encontrado em concentrações detectáveis no sangue de pessoas tanto com infecção primária (que contraíram a doença pela primeira vez) quanto secundária (a partir da segunda vez), do segundo até o nono dia após o início da doença.

Por isso, é considerada um excelente biomarcador de infecção pelo vírus da dengue, de acordo com Vieira.

“A vantagem de utilizar a proteína NS1 para detectar dengue é que é possível diagnosticar a doença mais precocemente, já no segundo ou terceiro dia após a infecção, uma vez que os sintomas da dengue só começam a aparecer, em média, a partir do sexto dia após a picada do mosquito”, disse o pesquisador.

Uma das formas usadas para detectar a proteína NS1 do vírus da dengue é por meio de anticorpos como a imunoglobulina G (IgG), obtidos por meio da fusão de linfócitos B provenientes do baço de animais imunizados com células de mieloma (linhagem tumoral de linfócitos B) ou extraídas do sangue de mamíferos inoculados com NS1.

O problema, contudo, é que o custo desse processo de fusão de linfócitos B é muito alto.

Já a quantidade de anticorpos obtida por meio do sangue de mamíferos inoculados com NS1 é muito pequena, ressalvou Vieira.

“O rendimento desse processo é muito baixo”, disse.

Fonte: Exame

 

Boletins

O Jornal Mural do SINTPq é publicado mensalmente e distribuído de forma gratuita nas empresas de nossa base. Seu conteúdo aborda as últimas notícias referentes ao SINTPq e aos fatos que interferem na vida do trabalhador e em seus direitos. As inovações e políticas publicas voltadas ao setor tecnológico também recebem destaque nas edições, uma vez que estão diretamente relacionadas aos interesses dos profissionais por nós representados. Confira abaixo as últimas edições do nosso Jornal Mural.

2019

Edição Maio 2019

Edição Janeiro - Fevereiro 2019

2018

Edição Novembro - Dezembro 2018

Edição Agosto - Setembro 2018

Edição Junho - Julho 2018

Edição Abril - Maio 2018 

Edição Fevereiro - Março 2018

2017

Edição Dezembro/2017

Edição Novembro/2017

Edição Outubro/2017

Edição Setembro/2017

Edição Agosto/2017

Edição Julho/2017

Edição Junho/2017

Edição Maio/2017

Edição Abril/2017

Edição Março/2017

Edição Fevereiro/2017

Edição Janeiro/2017

2016

Edição Dezembro/2016

Edição Novembro/2016

Edição Outubro/2016

Edição Setembro/2016

Edição Agosto/2016

Edição Julho/2016

Edição Junho/2016

Edição Maio/2016

Edição Abril/2016

Edição Março/2016

Edição Fevereiro/2016

Edição Janeiro/2016

2015

Edição Dezembro/2015

Edição Novembro/2015

Edição Outubro/2015

Edição Setembro/2015

Edição Agosto/2015

Edição Julho/2015

Edição Junho/2015

Edição Maio/2015

Edição Abril/2015

Edição Março/2015

Edição Fevereiro/2015 

Edição Janeiro/2015

2014

Edição Dezembro/2014

Edição Novembro/2014

Edição Outubro/2014

Edição Setembro/2014

Edição Agosto/2014

Edição Julho/2014

Edição Junho/2014

Edição Maio/2014

Edição Abril/2014

Edição Março/2014

Edição Fevereiro/2014

Edição Janeiro/2014

 

 

 

Assinar este feed RSS