Menu

Amazul apresenta contraproposta vexatória

A direção da Amazul definiu sua contraproposta em conjunto com o Ministério do Planejamento (MP) e, nesta semana, apresentou as condições ao SINTPq. O resultado foi pior do que o Sindicato e até mesmo os trabalhadores mais pessimistas poderiam imaginar.

Para os salários e benefícios, a Amazul ofereceu 0% de reajuste. Segundo a empresa, as condições apresentadas seguem as orientações do MP, que recomendou a contenção de despesas.

Com essa política de arrocho salarial, as remunerações tornam-se defasadas e o trabalhador vê seu poder aquisitivo diminuir a cada mês. Como se tamanho congelamento não fosse suficientemente danoso, a Amazul propõe ainda a retirada de uma série de benefícios.

Como justificativa para a exclusão de todos eles, a empresa alega que os benefícios citados não estão previstos em lei. Tal argumentação é totalmente absurda, uma vez que os Acordos Coletivos de Trabalho existem justamente para garantir relações de trabalho melhores que as condições mínimas previstas na CLT.

Abaixo, seguem os benefícios a ser removidos:

  • • Complementação de salário por afastamento
  • • Auxílio Funeral
  • • Auxílio ao filho portador de necessidades especiais
  • • Estabilidade provisória do empregado pai
  • • Estabilidade ao afastado pela previdência
  • • Estabilidade para representantes da comissão de empregados

Todos os detalhes da contraproposta podem ser conferidos na íntegra do documento, disponível no link.

O SINTPq está verificando as datas disponíveis para a realização de assembleias nas duas unidades. Nelas, os funcionários poderão manifestar sua opinião sobre as condições apresentadas. Em breve, as respectivas convocações serão enviadas.

Até quando?

A resposta da empresa e dos órgãos governamentais deixa claro que, sem mobilização dos trabalhadores, não serão respeitados nem mesmo os benefícios já conquistados. A tendência é de que novos retrocessos sejam impostos a cada ano. Diante dessa situação, os funcionários devem refletir sobre a postura a ser tomada a partir de agora.

A direção da Amazul e as instituições governamentais também devem se questionar sobre os resultados de sua conduta. O reflexo do congelamento salarial e retirada de benefícios será a evasão de cada vez mais profissionais capacitados, que representam o principal patrimônio da entidade. Com isso, a empresa perderá potencial produtivo, tornando-se incapaz de atingir seus objetivos.

Esse é o projeto que queremos para o Brasil?

A Amazul foi criada em 2012 com o objetivo de fortalecer a tecnologia e soberania brasileira. Sua fundação estava inserida em um projeto de desenvolvimento nacional existente na época e representou um avanço para o país.

Hoje, torna-se cada vez mais evidente que o governo empossado em 2016 possui um projeto totalmente diferente para o Brasil. Tal agenda é pautada na entrega das riquezas nacionais, no desmonte do Estado, na obediência aos interesses internacionais e no sucateamento das instituições ligadas à pesquisa e desenvolvimento.

A contraproposta apresentada pela empresa é apenas um reflexo da vontade do Governo Federal, Ministério do Desenvolvimento e demais órgãos estatais. De nada adiantará o árduo trabalho dos profissionais da Amazul sem um governo que preze pela soberania nacional.

Converse com seus colegas de trabalho e reflita sobre a atual situação e todos os elementos envolvidos. Somente com trabalhadores politicamente conscientes e engajados será possível obter vitórias.

voltar ao topo