Menu

Novo plano médico do IPT prejudica os menores salários

O processo de contratação do novo plano de saúde que atende as IPTeanas e IPTeanos culminou com o pregão vencido pela Seguros Unimed, na última sexta-feira, dia 11 de maio.

Dessa forma, o temor de não ter um contrato em 1º de junho foi vencido. Outros aspectos também avançaram: Rede básica com Complexo HC, INCOR e AC Camargo foram atendidas. A coparticipação foi revista e não incide mais em exames complexos. O sindicato espera que eventos pontuais, que já causaram R$ 500,00 de desconto no salário de um único mês, nunca mais aconteçam.

O fato inesperado está sendo a transição dos contratos. Isto porque, para 388 vidas que estão nos atuais planos Vital e Pronto, está havendo redução na parcela paga pelos funcionários, que pode chegar a 52%, passando de R$ 807,09 para R$ 430,70. Na outra ponta, para 691 vidas, há um aumento na mesma proporção, elevando o Plano Fundamental de R$ 177,07 para R$ 269,03.

Como resolver esse problema, que impõe perdas significativas para 2/3 dos beneficiários? Somente com adequações no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que o sindicato está negociando com o Instituto.

A nova diretoria do IPT tem a obrigação de tratar imediatamente com o sindicato, no âmbito do ACT, uma nova participação financeira dos empregados no custeio do plano de saúde.

Prazos de transição

Outra necessidade importante neste momento é oferecer aos usuários o maior prazo possível para escolha da categoria de plano. Com isso, poderão avaliar com calma a opção mais adequada às necessidades e possibilidades de suas famílias. Até o momento, o prazo final é 10 de junho.

Planos Essencial I e Essencial II

Como estes planos, menores que o patamar mínimo, nunca foram discutidos pelas entidades representativas dos empregados, ainda não há condições para avaliação e manifestação a respeito. Elas serão construídas ao longo da campanha salarial. Entretanto, é possível afirmar que eles não oferecem ganhos aos beneficiários do plano vigente.

É difícil imaginar que estas novas categorias servirão como incentivo para o retorno dos usuários que deixaram o plano no último período, uma vez que a rede credenciada oferecida deixa muita a desejar.

Estes novos planos contratados podem estabelecer uma base inferior ao padrão de qualidade pactuado nos ACTs anteriores. Os trabalhadores e trabalhadoras devem ficar atentos a essa questão, pois ela pode provocar grandes retrocessos.

voltar ao topo