Menu

1° de maio: SINTPq marca presença nas mobilizações

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, sapatos, árvore e atividades ao ar livre

1º de maio é dia de lutar pelos nossos direitos e foi isso que o SINTPq fez na manhã de ontem. Representado pelos diretores Paulo Porsani, Filó Santos, Márcio Martins, Celso Lacroux, Nilson Bueno, Katiucia Zanella e Edson Nakamura, o sindicato participou de manifestação promovida pelas centrais sindicais no centro de Campinas. O mote da atividade foi a luta contra a "reforma" da previdência e a precarização do trabalho.

A data foi marcada por diversas atividades em todo o território nacional, ao menos 10 estados registraram ato unificado contra a proposta da previdência do governo de Bolsonaro.

Em São Paulo houve ato unificado no Vale do Anhangabaú, evento que contou com a presença de artistas, como Leci Brandão, Simone e Simara, Paula Fernandes, Toninho Geraes, Mistura Popular, Maiara e Maraísa, Kell Smith, e Júlia e Rafaela.

notice

Mais de 200 mil trabalhadores participaram deste ato, aprovando, por unanimidade, a greve geral no dia 14 de junho contra a “reforma” da previdência. “Está aprovado! O Brasil irá parar em defesa do direito à aposentadoria dos brasileiros e das brasileiras. A única forma de barrar essa reforma é fazer o enfrentamento nas ruas. É greve geral”, destacou o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, que conduziu a votação junto aos trabalhadores e trabalhadoras.

Freitas comentou no ato que para se resolver o problema de arrecadação de dinheiro, as centrais sindicais têm uma proposta de reforma tributária para apresentar.

“Se Guedes quer arrecadar R$ 1 trilhão que vá tributar os ricos e milionários que têm jatinho, avião e jet ski. Não venha querer tirar do povo trabalhador”, ressaltou Vagner, reforçando que a proposta de reforma Tributária das centrais foi construída em conjunto com a Anfip (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal).

Com informações da Central Única dos Trabalhadores

voltar ao topo