Menu

Acompanhamento psicológico é fundamental durante tratamento do câncer de mama

O câncer de mama implica em muitos casos na retirada dos seios durante ou após o tratamento, quando há altas chances de desenvolvimento de um segundo câncer. Os seios, para a maioria das mulheres, estão diretamente ligados a autoestima, mas não somente a aspecto como a ideia de amamentação e maternidade. A mastectomia é um processo delicado e doloroso, não apenas fisicamente como também psicologicamente.

Um dos acompanhamentos recomendados para mulheres com câncer de mama, é o psicológico. Mesmo em casos onde o tratamento não precisa ser tão radical, a debilitação do corpo e incerteza do futuro afetam a psique das pacientes.

Em entrevista a UNA-SUS, Lizete Dickstein, psiquiatra e psicanalista do Serviço de Saúde Mental do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), comenta que um dos sintomas mais comuns é depressão. No entanto, as pacientes também podem apresentar um estado de angústia e negação da doença, principalmente nos primeiros estágios após a descoberta.

Apesar de acompanhamentos psicológicos particulares ainda terem um alto custo, o SUS oferece nas Unidades de Saúde Básica (UBS) tratamento gratuito. Caso haja necessidades, os psicólogos das UBS encaminham o paciente para outros especialistas que possam ajudar no tratamento. O SINTPq também disponibilizou uma lista de profissionais que fazem atendimento gratuito e podem auxiliar durante esse processo.

Prevenção

Quando identificado precocemente, o câncer de mama é tratado em seus primeiros estágios, o que facilita o processo de cura. O SINTPq reforça para as mulheres a importância do autoexame e mamografias anuais após os 40 anos.

voltar ao topo