Em primeira reunião negocial, IPT apenas reproduz determinações do governo estadual

Outro item da contraproposta do Instituto é a antecipação da data-base, que mudaria do atual mês de junho para março.

21/03/2022

Diretores do SINTPq, Priscila Leal, Dovair Lopes e Régis Norberto durante reunião neogocial no IPT

Aconteceu na manhã de hoje, dia 21, a primeira reunião de negociação da campanha salarial 2022/2023. Em respostas às reivindicações dos ipteanos e ipteanas, não houve avanços. A direção do IPT se limitou a responder aos pleitos aplicando o ofício circular da CPS (Comissão de Política Salarial), que autoriza apenas a aplicação do IPC-FIPE nos salários e benefícios.

Outro item da contraproposta do Instituto é a antecipação da data-base, que mudaria do atual mês de junho para março. Nesse caso, o IPC-FIPE acumulado no período é de 10,33%.

O SINTPq ponderou que, se existe aceitação desse índice por parte do GESP, o IPT poderia propor a antecipação dos 10,33% já em março, sem mudança da data-base. Com isso, restariam apenas percentuais a maior ou menor alvo de compensação em junho.

Tão logo o sindicato receba a contraproposta do IPT formalizada, os trabalhadores e trabalhadoras serão convocados para discutir os possíveis impactos imediatos e futuros de eventual aceitação ou recusa das condições oferecidas.