Inflação de março é a maior dos últimos 28 anos

Nos acumulados em 12 meses, IPCA e INPC registram a maior alta desde 1994; confira os detalhes

13/04/2022

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta de 11,3% no acumulado dos últimos 12 meses. A marca histórica é a maior desde 1994. O IPCA mede o impacto da inflação para famílias com renda de até 40 salários mínimos.

Em março, o IPCA mensal voltou a acelerar e ficou em 1,62%. A última vez que o índice ultrapassou essa marca foi no primeiro mês de 2003. As categorias mais impactadas foram Transportes (3,02%), Alimentação e Bebidas (2,42%) e Vestuário (1,82%). O grupo Habitação foi o quarto a ficar acima de um ponto percentual, com 1,15%.

Índice Acumulado nos últimos 12 meses Variação em fevereiro/2022
IPCA 11,30% 1,62%
INPC 11,73% 1,71%
IPC-FIPE 10,96% 1,28%

 

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acelerou pelo terceiro mês consecutivo e também registrou sua maior alta desde 2003, com 1,71% no mês passado. As três categorias mais impactadas foram as mesmas do IPCA: Transportes (3,01%), Alimentação e Bebidas (2,39%) e Vestuário (1,78%). Já o acumulado dos últimos 12 meses ficou ainda maior que o índice anterior, com a infeliz marca histórica de 11,73%. O INPC mede a inflação para famílias com renda entre um e cinco salários mínimos.

IPC-FIPE

De acordo com o IPC-FIPE, que mede a inflação apenas na cidade de São Paulo, a inflação para os paulistanos ficou abaixo dos índices nacionais. Mesmo assim, o índice mensal de 1,28% em março é o maior dos últimos 7 meses. As categorias que mais impactaram a alta do último mês foram Alimentação (2,43%) e Transportes (1,68%)

Cesta Básica DIEESE

De acordo com a última pesquisa mensal de cesta básica do DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, a cesta básica da cidade de São Paulo fechou o mês de março custando R$ 761,19. Com variação de 6,36% em relação ao mês anterior, a cesta dos paulistanos segue sendo a mais cara entre as capitais brasileiras.

São Paulo - Números de março de 2022

  • Valor da cesta: R$ 761,19
  • Variação mensal: 6,36%
  • Variação no ano: 10,24%
  • Variação em 12 meses: 21,60%

Produtos com aumento de preço em relação a fevereiro: tomate (93,37%), café em pó (72,30%), açúcar refinado (46,21%), batata (34,58%), manteiga (24,70%), óleo de soja (24,14%), farinha de trigo (15,58%), carne bovina de primeira (13,36%), pão francês (12,76%), leite integral (9,03%), banana (6,50%) e feijão carioquinha (6,13%). Somente o arroz agulhinha acumulou taxa negativa (-15,23%).

Jornada necessária para comprar a cesta básica: 138 horas e 10 minutos

Percentual do salário mínimo líquido gasto para compra dos produtos da cesta para uma pessoa adulta: 67,90%