Menu

Economista analisa impactos da “reforma” trabalhista em palestra no SINTPq

Os impactos da "reforma" trabalhista foram tema de debate na noite de terça-feira, dia 12, na sede do SINTPq, em Campinas. A atividade foi conduzida pelo economista Guilherme Mello, professor do Instituto de Economia da UNICAMP e pesquisador do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (CECON-UNICAMP). Entre os presentes, estiveram profissionais de CT&I e dirigentes sindicais da cidade.

Durante sua fala, Mello enumerou diversos pontos negativos da “reforma”, que, segundo ele, poderão melhorar as estatísticas de desemprego, mas, na prática, causarão um contingente de trabalhadores em situações precárias. “Quando você observa a composição desses empregos, percebe que são ‘bicos’, são trabalhos precários e sem direitos”, analisa. 

O palestrante teceu críticas aos apoiadores da “reforma”, que usam a necessidade de modernização das leis trabalhistas como justificativa para apoiá-la. Segundo ele, colocar a força do acordo individual sobre a lei só contribuirá para aumentar ainda mais a desigualdade de força entre empregado e empregador.

“É evidente que as relações de trabalho mudaram com o tempo com o aumento dos serviços e a internet. Mas ao invés de regulamentar as novas formas de trabalho para garantir o mínimo de direito do trabalhador, a reforma trabalhista visa desmontar os mecanismos de proteção e levar isso para a livre negociação entre empregador e trabalhador, como se os dois tivessem o mesmo poder”, completa Mello.

Após o término da palestra, os presentes debateram e levantaram pontos importantes sobre a chamada “Uberização do trabalho”, termo que descreve o processo de transformação de atividades atuais em serviços. De acordo com o palestrante, essa é uma nova tendência nas relações de trabalho. Esse assunto, inclusive, foi tema do último Café SINTPq, realizado em agosto. 

A palestra rendeu boas reflexões e esclarecimento aos participantes e internautas que acompanharam o evento ao vivo pelo Facebook do SINTPq. Você que perdeu a palestra pode acompanhar a gravação clicando aqui.

Uma edição da palestra em São Paulo já foi confirmada por Geraldo Antunes Pereira, diretor do SINTPq. O objetivo, segundo ele, é ampliar a discussão para os trabalhadores e trabalhadoras da base que não puderam se deslocar até Campinas. A data e horário serão divulgados em breve.

voltar ao topo