Menu

CPS nega reivindicação e frustra campanha salarial do IPT

Na manhã de hoje, dia 25, foi protocolada no Sindicato uma carta-resposta à nossa reivindicação de mudança no percentual do Plano de Saúde, que passaria dos 75% IPT x 25% empregado para a relação 90% IPT x 10% empregado.

Ao longo de quase três meses, foram realizadas reuniões com chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento, Sr. Juvenal, e no Palácio do Governo com o secretário Marcio França, além do envio da solicitação, por parte da diretoria do IPT, para apreciação da Comissão de Política Salarial – CPS.

Após tantos desdobramentos, veio a tão esperada resposta: A CPS não autorizou o IPT a promover a mudança nos percentuais do Plano de Saúde. É frustrante o tratamento dispensado aos profissionais do IPT pelo Governo do Estado e ainda mais frustrante a diretoria do Instituto não conseguir atender nosso pleito, que só restabeleceria, minimamente, a condição financeira do contrato anterior, uma vez que a qualidade oferecida hoje é imensuravelmente inferior. Novamente, sofremos uma perda...

Diante desse cenário, o SINTPq convoca todas as trabalhadoras e trabalhadores do IPT para Assembleia Geral Extraordinária na próxima quarta-feira, dia 1º de novembro, às 9h, em frente à sede do Sindicato – prédio 08, para deliberar sobre a Campanha Salarial 2017/2018. A participação de todos neste momento é fundamental.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Pelo presente edital, o SINTPq – Sindicato dos Trabalhadores em Atividades (Diretas e Indiretas) de Pesquisa e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia de Campinas e Região, inclusive São Paulo, convoca todos os trabalhadores do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo S/A – IPT, para Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada em 01 de novembro de 2017, quarta-feira, em frente a subsede do SINTPq – prédio 08, às 09h00 em primeira convocação e às 09h30 em segunda convocação para deliberar sobre a seguinte pauta: 1) Apresentação, avaliação e deliberação da contraproposta da empresa para assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018; 2) Discussão e deliberação de instauração de dissidio coletivo ou dissidio coletivo de greve; 3) Deliberação quanto à instauração de assembleia permanente; 4) Outros Assuntos.

São Paulo, 26 de julho de 2017

Régis Norberto Carvalho
Presidente SINTPq

voltar ao topo