Amazul: Assembleia com mais de 600 trabalhadores encerra campanha salarial e dissídios

Em assembleia com a maior participação da história da Amazul, os trabalhadores decidiram pela aprovação da contraproposta da empresa e extinção dos dissídios de 2019 e 2020.

27/10/2021

Em assembleia com a maior participação da história da Amazul, os trabalhadores decidiram pela aprovação da contraproposta da empresa e extinção dos dissídios de 2019 e 2020. Os encontros aconteceram simultaneamente no CEA, CTMSP, sede e de forma online. Foram registrados 551 votos pela aprovação, 62 contrários e 14 abstenções.

A contraproposta aprovada estabelece:

• Reajuste salarial de 5,78%, a partir de 1º de janeiro de 2022.

• Concessão de abono condicionado à extinção dos dissídios de 2019 e 2020:

a) Abono fixo de R$ 6.000,00 para todos os empregados.

b) Abono proporcional, no montante de 70% do salário-base de janeiro de 2022, já considerando os reflexos do aumento de 5,78%.

Esta campanha salarial foi iniciada há exatamente um ano e somente agora, depois de muitas reuniões e pressão do sindicato e dos funcionários, foi possível chegar em uma contraproposta. O SINTPq entende que a mesma está aquém das necessidades dos trabalhadores, mas ressalta que as alternativas possíveis seriam muito piores em função da Lei 173, que veda reajustes neste ano e poderia inviabilizar nova ação de dissídio.

Apesar das limitações, é importante valorizar a mobilização e o empenho de todos, trabalhadores e sindicato, que possibilitaram a existência da contraproposta hoje aprovada. Quem acompanha as campanhas salariais sabe que a posição padrão da SEST e da Amazul é sempre pelo 0%. Portanto, nada do que foi alcançado até aqui veio de mão beijada. Sem mobilização, negociação e atuação jurídica, nada disso seria possível.

Entenda

A Amazul - Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A é uma empresa pública responsável pelo desenvolvimento tecnológico do submarino nuclear brasileiro e de outros projetos do Programa Nuclear Brasileiro (PNB).

Há anos, nas campanhas salariais, a Amazul oferece reajuste zero ou abaixo da inflação. Isso resultou na realização de greves em 2018 e 2019, além de instauração de dissídio coletivo em 2020. Os trabalhadores obtiveram vitória judicial em 2018, mas os dissídios de 2019 e 2020 estavam parados na Justiça do Trabalho.

Na campanha salarial de 2021, a empresa ofereceu 0% novamente. Desde janeiro, quando os funcionários rejeitaram a proposta da empresa, a Amazul vinha protelando as negociações. Em função da judicialização das últimas campanhas salariais, os trabalhadores e trabalhadoras estavam com os salários congelados desde janeiro de 2019.

Após muito esforço e mobilização do SINTPq e dos trabalhadores, no dia 19 de outubro a empresa finalmente apresentou uma contraproposta, que abrangia as três campanhas pendentes. A assembleia do dia 27/10 contou com a participação de 627 trabalhadores e a proposta foi aprovada com quase 90% dos votos.