SINTPq e Amazul retomam diálogo na campanha salarial

Reunião na terça-feira, dia 14, deu continuidade às tratativas entre as partes

15/06/2022

Na manhã de terça-feira, dia 14, a diretoria do sindicato realizou reunião com representantes da Amazul. Neste encontro, o sindicato apresentou as seguintes sugestões/possibilidades para que a campanha salarial siga da melhor forma possível para todas as partes: 

▪️ Considerando que a empresa já propôs 7% de reajuste salarial, que esse índice seja implementado de imediato, por liberalidade. A diferença em relação à pauta de reivindicações poderia seguir em negociação sem a necessidade de greve.

▪️ A empresa conceder o comum acordo para instauração de dissídio coletivo, como feito em 2020. Dessa forma, também não haveria necessidade de greve.

▪️ A Amazul também pode apresentar uma nova contraproposta que traga avanços, possibilitando a convocação de outra assembleia.

Ao longo da reunião, o sindicato também pontuou os elementos que tornaram a contraproposta anterior inaceitável: 

▪️ Reajuste abaixo da inflação, o que é ainda mais grave em um momento de disparada nos preços;

▪️ 0% nos benefícios, que já estão extremamente defasados. A Cesta Alimentação segue no valor de R$ 407,61 desde 2018, sendo que a Cesta Básica DIEESE já está em R$ 777,93 (maio/22);

▪️ O fato do reajuste ser retroativo a março, e não a janeiro, torna a defasagem salarial ainda maior.

Na última segunda-feira, dia 13 de junho, a Amazul encaminhou ofício ao sindicato afirmando que sua contraproposta anterior, já rejeitada em assembleia, não teria condicionantes para o pagamento dos 7% de reajuste. O SINTPq lamenta o fato de, ao longo dos dias antes da assembleia, a Amazul ter preferido realizar uma disputa de narrativas por meio de seus comunicados, em vez de enviar ofício retirando as condições por ela mesmo impostas.

Independentemente dos condicionantes, a contraproposta era ruim e foi rejeitada pelos trabalhadores e trabalhadoras. Dessa forma, o SINTPq segue encaminhando a decisão da assembleia solicitando agendamento de mediação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) nos próximos dias. Em paralelo, o sindicato está atento a todas as movimentações e poderá convocar nova assembleia assim que necessário.

Através da mediação, do estado de greve e da mobilização junto aos funcionários, o sindicato buscará soluções para o presente impasse. A direção do SINTPq entende que, da mesma forma que a empresa conseguiu “superar limitações” para chegar a 7%, é possível alcançar a recomposição integral da inflação (10,06%) nos salários e benefícios e a retroatividade correta.

O objetivo, como sempre, é encontrar soluções sem a necessidade de greve. A empresa pode promover esse desfecho positivo, basta rever sua postura e viabilizar condições dignas. Que em uma próxima assembleia o sindicato não precise defender greve e possa apresentar um cenário que não represente perdas no poder aquisitivo.